terça-feira, novembro 17, 2015

ABDICAÇÃO

A paz que tenho, dela abdico:
não satisfaz a minha ânsia.
__Só a distância 
me faz rico.
     
Que importam velas, catedrais
para o meu sonho de partir?
__Sou longe e mais
só com sorrir.
     
Lírios, amores, cavalos-de-pasta,
também os teve a minha infância.
__Só a distância
hoje me basta.
     
                    Daniel Filipe

6 Comments:

Blogger ReltiH said...

INTERESANTE, MUY INTERESANTE.
ABRAZOS

4:28 da tarde  
Blogger Parapeito said...

Realmente que importa!
Gostei de encontrar aqui o Daniel Filipe.
Brisas doces *

8:41 da tarde  
Blogger Graça Pires said...

Querer o prazer da viagem, da procura... O poema de Daniel Filipe não tem comentário à altura. Gosto muito de o ler.
Beijo.

12:25 da tarde  
Blogger Daniel C.da Silva (Lobinho) said...

Nem toda a rima é fácil...
Gostei desta :)

Abração :)

3:04 da tarde  
Blogger Franziska said...

Tiene un encanto especial todo el poema y ha sido, como en otras ocasiones, un descubrimiento de la poesía escrita en lengua portuguesa de la que yo tengo muy poca información.

Tengo dificultades de tiempo para publicar e incluso para visitar los blogs amigos. Espero que lo comprendas y me perdones las ausencias. Gracias por el tiempo y el trabajo que le dedicas a darnos a conocer a vuestros poetas. Un abrazo. Franziska

6:05 da tarde  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

muito bem escolhido este poema do Daniel Filipe
realmente que importa, que importa..
um bom fim de semana.
beijo
:)

6:42 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home