quinta-feira, setembro 25, 2014

SONETO

Fere igualmente Amor o rico, e o pobre,
o moço, o velho, em fim tudo sujeita;
e, às vezes onde menos se suspeita,
arde mais vivo quanto mais se encobre.

Faz que um herói ao seu poder se dobre,
que desvarie um sábio; e não respeita
nem da cabana a esfera mais estreita,
nem do palácio o resplendor mais nobre.

Nem dentro dos grilhões de uma clausura
contra os tiros cruéis do aventureiro,
encontra fraco abrigo a formosura.

Rompe pelo impossível derradeiro;
combate as honras, a virtude apura;
e alista por vassalo o mundo inteiro.
 

     
Sanches de Frias

10 Comments:

Blogger redonda said...

Não conhecia e gostei :) Obrigada.
um beijinho
Gábi

2:09 da manhã  
Blogger manuela barroso said...


Um soneto perfeito na perfeição da mensagem, deste Visconde de Frias
Que não morra a arte dos que dominavam
MB

4:28 da tarde  
Anonymous Suzana Martins said...

Nossa!!
Que presente!!!
Não conhecia os versos e simplesmente fiquei encantada!!!

Parabéns!!

Abraços

11:12 da tarde  
Blogger ⊰✿⊱France ⊰✿⊱ said...

Je viens te souhaiter une belle journée et tu sais bien que j'ai du mal pour traduire tes mots
bisous et bonne journée

12:33 da tarde  
Blogger Roselia Bezerra said...

Olá,
Ainda bem porque, caso contrário, ficaríamos desamados...
Gostei muito!!!
Abraços fraternos

4:19 da tarde  
Blogger ツ ✽ ღ Nancy ღ ✽ ツ said...

Que c'est BEAU ! Merci beaucoup !!!!

☼ je t'envoie plein de douces pensées d'Asie.
≧^◡^≦ Passe un bon dimanche !!!! Abraços !

ⒸⒾⒶⓄ ❀

2:14 da manhã  
Blogger Graça Pires said...

Os sulcos do amor, num excelente soneto.
Abraço.

2:07 da tarde  
Blogger Parapeito said...

Belo soneto.
Nao conhecia.
brisas doces *

9:45 da tarde  
Blogger Grisselda Serrano said...

Hermoso soneto. Me encantó

Un abrazo

5:46 da manhã  
Blogger Grisselda Serrano said...

Hermoso soneto. Me encantó

Un abrazo

5:46 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home