sábado, setembro 06, 2014

RETRATO DE UM AMOR ANTIGO COM UM VERSO DE POUND

Deixei o teu retrato na distância
que fizémos crescer de mim a ti,
As vezes, mais ainda que a ausência,
deserto coração do que vivi.
     
me pesam as palavras que não disse,
os gestos suspendidos na memória
como palco de sombras que se abrisse
para mostrar o que não teve história.
    
E ao fundo do retrato mais antigo
o rosto que teremos nós um dia
defronta-nos irónico, num riso
a chamar-nos da morte para a vida.
    
(Até se ouvir no meio do embaraço:
Tua mente e tu sois nosso mar Sargaço)
    
      Luís Filipe Castro Mendes

2 Comments:

Blogger GarçaReal said...



Amor antigo que deixa marcas indeléveis...Momentos que não se apagam...Palavras não ditas em gestos por expressar.

Muito bom

Bom fim de semana

Bjgrande do lago

4:44 da tarde  
Blogger poemas lichazul said...

nunca sobran palabras para cantar al amor

buena jornada Manuel
:D

2:15 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home