quinta-feira, agosto 01, 2013

ROTEIRO

Sigo um roteiro que é todo pardo,
no fusco céu deste janeiro tardo.

Às vezes saio à tonta, às vezes berro,
com um amor caprino ruminante,
fingindo que neste pasto onde me enterro
nascem capins de teu cabelo esvoaçante.

E se por vezes redobro o meu empenho,
aí é que me perco e me embrenho.

Geraldo Pinto Rodrigues

4 Comments:

Blogger tulipa said...

BOA TARDE

Bela poesia
envolvente e singela.

Obrigado pela visita
ao meu blog
e pelo comentário deixado,
no post
"VARANDAS DE AVÔ - MIRADOURO"

Pois eu procurei
o concelho de Oliveira do Hospital porque
achava que nunca lá tinha estado, só que,
quando me apercebi andava
no Parque Nacional da Serra da Estrela, sem eu dar conta.

No entanto, as aldeias e localidades que visitei
eu "nunca" lá tinha estado.

Gosto de, quando em quando,
fazer uma escapadinha por este Portugal, que tem belos recantos.

Beijinho
Bom fim de semana

4:51 da tarde  
Blogger Cristina Cebola said...

Gosto da forma como escreve, e da subtileza com que nos toca a alma...

Abraço e boa semana!!!

11:46 da manhã  
Blogger Katina said...

Te pienso, te leo y te traduzco ,un abrazo cálido desde el sur de Chile, gracias por tus palabras.

2:44 da manhã  
Blogger Guacira Maciel said...

Olá, bom dia! Aqui uma linda manhã de setembro...
Obrigada pela visita ao meu blog, e pergunto-lhe: e se vive sem VIVER?

Lindo este poema e singelo...pois é...a plenitude e a beleza devem ser buscados no singelo.
Abraço,

gpoetica

10:33 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home