quinta-feira, junho 13, 2013

QUERO

Quero viver daquilo que viveres;
quero chorar por tudo que chorares;
quero adorar aquilo que adorares;
quero sofrer por tudo o que sofreres.

Só hei-de crer naquilo que tu creres;
quero invejar sòmente o que invejares;
quero aspirar a tudo a que aspirares
e só descrer daquilo que descreres.

Quero mentir em tudo o que mentires;
quero sentir, amor, o que sentires;
sermos, num só, dois corpos _ tu e eu.

Só nos separa um nada que persiste:
_Esta minha ilusão que ainda existe,
e a tua que de há muito já morreu!

Armando Soares Imaginário

3 Comments:

Blogger Cristina Cebola said...

Talvez o amor, seja este viver por simpatia...dentro do outro, em perfeita comunhão e consonância...

Momento de profunda intensidade poética!

Dia feliz!!

5:28 da tarde  
Blogger elvira carvalho said...

Não conhecia este poeta. Mas gostei do poema.
Um abraço e4 tudo de bom para si.

10:38 da tarde  
Blogger Parapeito said...

:) dois em um...
brisas doces*

7:50 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home