domingo, março 31, 2013

Poema NO DOMIMGO DE PÁSCOA

No domingo de Páscoa
vi um cego a almoçar num restaurante,
Levava o garfo à boca, e entretanto sorria,
cândidamente,
como só os cegos sabem sorrir.
Comia frango, e ao servir-se do garfo ora trazia
comida nova, ora coisa nenhuma,
ora tendões e peles já antes mastigados,
ora tudo junto,
dependurado de qualquer maneira,
sorrindo sempre, cândidamente.


Eu então levantei-me, e assim mesmo,
de sapatos castanhos,
calças e casaco da mesma cor,
alto, magro e bastante calvo,
aproximei-me do cego
e disse-lhe imperativamente:
__Abre os olhos!


Que ridículo!
Uma coisa que só aos deuses pertence.

António Gedeão

3 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Grande poeta... Gedeão...

Abre os olhos... palavras que só fazem sentido vindas de Deus...

Boa Páscoa Manuel...

Alice

2:23 da tarde  
Blogger La Gata Coqueta said...



Para ti...
Que haces sonreír a mi alma,
y me alimentas con tus vistas.
► ♣ ◄

Para ti...
Que a través de la distancia
me han contagiado de tu ternura.
► ♣ ◄

Para ti...
He colgado una rosa que lleva tu nombre, en la estrella más bella,
para que cuando mires al cielo te acuerdes de mí...
Como yo me estoy acordando en este instante de ti!!
► ♣ ◄

Atte.
María Del Carmen




12:49 da manhã  
Blogger La Gata Coqueta said...



Con la sinceridad en la mano
y una sonrisa en los labios,
te deseo un esplendido
fin de semana!!
Cumpliendo sueños
y restableciendo ilusiones...

Un abrazo de esperanza
Y un beso de confianza.

Atte.
María Del Carmen





7:20 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home