terça-feira, fevereiro 19, 2013

SONETO

Não pode Amor por mais que as falas mude
exprimir quanto pesa ou quanto mede.
Se acasp a comoção falar concede
é tão mesquinho o tom que o desilude.

Busca no rosto a cor que mais o ajude,
magoado parecer aos olhos pede,
pois quando a fala a tudo o mais excede
não pode ser Amor com tal virtude.

Também eu das palavras me arreceio,
também sofro do mal sem saber onde
busque a expressão maior do meu anseio.

E acaso perde, o Amor que a fala esconde,
em verdade, em beleza, em doce enleio?
Olha bem os meus olhos, e responde.

António Gedeão

3 Comments:

Blogger Marina-Emer said...

Gracias por tu visita y sobre todo hablarme de las rosas para mi la flor mas bella y si tiene espinos pero es para defenderse .
bellisimo Soneto de amor el tuyo .precioso
un abrazo
Marina

6:56 da tarde  
Blogger Cristina said...

Una maravilla tus letras! Te dejo un fuerte abrazo, bonita jornada.

4:32 da tarde  
Blogger MEU DOCE AMOR said...

Depende...mas pode.

Passei

Beijinho doce

8:51 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home