segunda-feira, dezembro 03, 2012

O NADA QUE É

O  canavial tem a extensão
   que nenhum metro mede, não
 
   Tem o escancarado de mar
   que está como a dasafiar
 
   que números ou seus afins
   possa prendê-los em seus sins.
 
   Ante um canavial a medida
   é uma ideia logo esquecida,
 
   porque embora todo povoado,
   povoa-o o cheio anonimato
 
  que dá esse efeito singular:
  de um nada prenhe, como o mar.
 
João Cabral de Melo Neto

2 Comments:

Blogger Cristina said...

Bellas letras, un placer leerte!
Te dejo un abrazo, buen inicio de semana!

7:51 da tarde  
Blogger Marina-Emer said...

BUENO GRACIAS POR TU VISITA Y BRINDARME TU AMISTAD ...SERA UN PLACER SER TU AMIGA BLOGUERA.
SALUDOS
Marina

3:56 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home