domingo, fevereiro 17, 2013

PEQUENO POEMA

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava.

Nem homens cortaram veias,
nem o sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais...
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.

Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.

As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém...

Pra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe...


Sebastião da Gama

1 Comments:

Blogger Cristina said...

Un pequeño poema que mucho dice, un placer leerte!
Te dejo un fuerte abrazo, buen comienzo de semana.

2:06 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home