sexta-feira, julho 26, 2013

O PEQUENO MENDIGO

Avesinha caída um dia à lama,
Do coração d'alguma humilde mãe,
Que o deixou ir sem forças, como quem
N'uma onda vê sumir-se o que mais ama.

Foi da miséria ao vício e irá também,
Na preversão que os maus instintos chama,
Do vício hediondo ao crime, que ninguém
N'esse espírito em flôr a luz derrama.

E passa os dias o inocente _ a errar
De porta em porta, mendigando o pão
Que à noite a um dono tem de apresentar.

Há lá mais triste e negra condição ?
Morrer de fome e não poder tocar
Nas três míseras côdeas que lhe dão ?...

Manuel Ribeiro

3 Comments:

Blogger Rosa dos Ventos said...

Que tristeza! :-((

Abraço

8:35 da tarde  
Blogger Vera Lúcia said...


Olá Manuel,

Um soneto triste, mas que retrata uma dura realidade.Há muita sensibilidade nos versos.

Abraço.

11:05 da tarde  
Blogger MARILENE said...

E quantas são essas crianças abandonadas, com a infância perdida e roubada! Uma realidade que sensibiliza, mas que requer providências outras que não temos, como indivíduos, condições de adotar.

(Li alguns poemas do blog e são muito bons. Parei aqui pela autoria.)
Abraço.

2:37 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home