sexta-feira, junho 21, 2013

NO EMBARCADEIRO DA VOLTA

Em Portugal, onde anda um sol que se demora
a diluir uma erosão crepuscular;
no embarcadeiro dos fantasmas a esticar
constantemente o coração que se evapora,

que busca a luz que vem de dentro para fora
e nunca a luz das coisas como são; no pomar
da árvore de ouro, nem a árvore agora
nem a outra, a ancestral cansada de durar;

em Portugal, lugar do velho escoadouro
de todo um continente, deste Ocidente inteiro,
terminal das paixões peregrinas primeiro

e enfim partida aos precipícios do vindouro,
é ali que toca ao coração do brasileiro
despedir-se de Europa e entender-se com o touro.

Bruno Tolentino

 

 

1 Comments:

Blogger Dalva M. Ferreira said...

Sei... é também a porta dourada.

5:14 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home