terça-feira, outubro 26, 2010

A MÃE

Há fogo numa casa, à beira do caminho.
O bom povo d'aldeia em ondas se aglomera;
com medo vão fugindo as aves para o ninho;
aumenta mais e mais a subida cratera.

Ouve-se uma voz rouca, em tom desesperado:
_«Oh! Salva-te, mulher! É livre ainda a porta.
Não sejas avarenta: o cofre pouco importa;
todo o valor que tinha eu tenho aqui guardado».

Branca como um fantasma, aflita, desgrenhada,
lá surge uma mulher daquela enorme chama,
levantando nas mãos o seu filhinho loiro,

que mostra à multidão atónita, pasmada;
e, fitando o marido, altivamente exclama:
_«Sou avarenta, sou! Contempla o meu tesoiro!»

Costa Alegre

6 Comments:

Blogger Doroni Hilgenberg said...

Mãe, sempre é mãe, protetora e altaneira, enfrenta todos os perigos para salvar seu filho.
belo e singelo soneto.
bjs

2:24 da manhã  
Blogger Baila sem peso said...

Mãe é aquela palavra terna
que no coração da mulher anda guardada...
até ao dia que também o somos
e aí percebemos o quão desejada
e por ela fazemos, do ouro nada!

Soneto que conta a história
de como mãe fica sempre na memória...

beijinhos de mãe galinha :)

12:32 da tarde  
Blogger fgiucich said...

La avaricia más hermosa!!! Abrazos.

12:29 da tarde  
Blogger Adriana Alba said...

Gracias (Obrigado) espero esté bien escrito.

Por tu visita.

Abrazos.

12:31 da manhã  
Blogger La Gata Coqueta said...

A mis sentidos
fluyen los pensamientos
donde tu eres el principal
protagonista cada mañana
mi querido amigo Manuel...

Protagonista cada mañana
para acercarme
una reflexión
bordando una caricia
en letras doradas
para el alma

Para el alma
que sigue flotando
sin salir aun de su letargo
ante una posible realidad
que asume con ilusión
al ver un nuevo amanecer

Al ver un nuevo amanecer
con la esencial necesidad
de pasar a saludarte y a darte un abrazo
con la ternura y el aprecio sin igual
del río de vida callado y sosegado
que por mis venas transita

Que por mis venas transita
acercándome ese rayo de tu luz
que supera a todos los demás
por su calidad en el empeño
que atrapas en el interior del espíritu...
...y al transmitírmelo me haces sentir
muy afortunada...
...porque compartes tus letras
y sincera amistad conmigo.

María del Carmen

7:43 da tarde  
Blogger Poetiza said...

Bellas tus letras, un placer leerte. Te dejo un beso, cuidate.

6:46 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home