quarta-feira, setembro 01, 2010

ILUSÕES

São como pombas perdidas,
as ilusões do meu peito.
Andam cegas, andam loucas...
Tenho o coração desfeito.

São perfumes que se evolam
Pelo Mundo, em liberdade.
são rosas que se desfolham,
Dando lugar à saudade.

Felícia Caldeira

8 Comments:

Blogger Maria Valadas said...

Belíssimo poema, Manuel!

Um prazer em visitar-te, meu amigo,
para ler mais e mais poesia que exploras!

Abraço com amizade.

Maria

7:59 da tarde  
Blogger AZUL said...

Hermoso!!!!

Gracias x visitarme...

12:31 da manhã  
Blogger fgiucich said...

Un regreso adornado con la ilusión. Abrazos.

2:16 da tarde  
Blogger Poemas e Cotidiano said...

Que lindo...
Ilusoes sao mesmo...'pombas perdidas'..
Uma linda e triste comparacao!
Beijos carinhosos
Mary

2:27 da tarde  
Blogger ** MARÍA ** said...

Seguro pones todo el sentimiento para escribir bello...

Un placer visitarte de nuevo.

Un beso tierno y dulce para ti.


** MARÍA **

7:20 da tarde  
Blogger Baila sem peso said...

Ai, que triste a ilusão
como deixa ferida no coração...

e como a saudade assim ferida
tem tanto de compreendida...

gostei da simplicidade
com que se fala ilusão, saudade...
a poetisa cheia de dor
fala de seu interior...

Beijinho de carinho

8:58 da tarde  
Blogger maria manuel said...

são assim as ilusões, loucas mas também sonhos de liberdade. belo poema.

grata pela visita ao meu blog. abraço.

9:14 da tarde  
Blogger Maria José said...

Belo poema. Vim retribuir sua visita ao Arca. Obrigada pela participação e grande abraço.

12:22 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home