sábado, julho 04, 2015

A CASA DO CORAÇÃO

O coração tem dois quartos:
Moram ali, sem se ver.
Num a DOR, noutro o PRAZER.
      
Quando o PRAZER no seu quarto
Acorda cheio de ardor,
No seu, adormece a DOR...
     
Cuidado, PRAZER !  Cautela,
Canta e ri mais devagar...
Não vá a DOR acordar...
      
         Antero de Quental 

9 Comments:

Blogger CÉU said...

Olá, estimado Manuel!

Como está?
Já conhecia este engraçadíssimo e inteligente poema de Antero, que, infelizmente, se suicidou antes dos 50 anos.
É preciso estarmos atentos e não deixar a dor acordar, porque nós queremos ser felizes, muito felizes.
O coração, até, tem quatro "quartos", como sabe, e a k vou dar nomes: o do prazer, o da felicidade, o do sonho e o da alegria, tudo, tudo, no ritmo certo, portanto, sem taquicardia ou braquicardia.

Uma excelente noite e um bom domingo.
Beijinho, com muita estima.

11:57 da tarde  
Blogger ReltiH said...

MUY SIGNIFICATIVO MENSAJE!!
ABRAZOS

3:48 da manhã  
Blogger sonia a. mascaro said...

Que linda poesia de Antero de Quental, Manuel!
Eu não conhecia.
Gostei do comentário da Céu e vou lá visitar o blog dela.
Abraços.

10:00 da tarde  
Blogger AMALIA said...

Bonitas letras.
Una hermosa poesía.
Un abrazo.

5:48 da tarde  
Blogger CÉU said...

Olá, meu estimado amigo!

Já sei k tinhas saudades minhas, já sei (risos), mas tenho andado um tanto atarefada, todavia, mas tenho-me lembrado da sua pessoa e dos dois quartos, k pôs à nossa consideração e disposição.
Agradeço a sua visita de hoje, e peço desculpa de não ter vindo logo, para falarmos um bocadinho, mas o dia, ainda, só tem 24h.

Beijinho, com mta estima.

6:39 da tarde  
Blogger CÉU said...

Não se "assuste" com a fotografia, k agora acompanha os meus comentários. Não "resisti" a tanto apelo, e fiz algumas fotos, poucas, há umas duas semanas, creio k pelo S. João, e estes são os meus olhos.
Tenho k esclarecer k não sou "feiticeira", nem moura, mas tenho neles, mouros, as minhas origens. Sou alentejana, portanto, o "enigma" está contextualizado e explicado.
Tenho recebido tantos comentários em OFF, sobre a fotografia, k, agora, estou a aproveitar o "tempo de antena", aqui, no seu blogue, para explicar.

Fique bem!

6:49 da tarde  
Blogger Franziska said...

Es bien cierto que el dolor se olvida cuando hay placer pero no hay que olvidar que el placer da dolor, es la rueda de la vida, la lucha del corazón. Buen poema y lleno de sentido. Gracias por compartirlo. Un abrazo. Franziska

9:47 da tarde  
Blogger CÉU said...

Olá, querido amigo!

Agradeço a sua visita e votos de felicidade. Para si, mta, tb.
Estive a ler os meus comentários, de hoje, e o 1º está com duas conjunções adversativas: "todavia, mas tenho-me lembrado...". Logicamente, k tem de se retirar uma, para k fique um português correto. E logo eu com formação na área.
Sorry! Prefiro francês: excusez-moi, mon chéri ami.

Obrigada pelo beijinho k retribuo.

Uma noite divina.

11:33 da tarde  
Blogger MEU DOCE AMOR said...

olá:

Cuidado!Não conhecia o poema.

Beijinho doce

4:29 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home