segunda-feira, novembro 03, 2014

MUITO PEDIR

__Dá-me esse jasmin de cera,
       Minha flor ?
«Mas... e depois, se lho dera,
       Meu senhor ?!»
       
__Depois, era uma lembrança.
       «Mas de quê ?»
__De uma tão linda criança,
       Já se vê.
      
«Oh !  tão linda !  Mas parece,
       Sendo assim,
Que inda quando lhe não desse
        Tal jasmin...»
      
__Nunca se esquecia por certo.
       «Nunca já ?»
__Nunca.  «Nunca é muito certo,
       Mas...  vá lá !»
      
__E a rosa, que bem lhe fica !
       Dá-ma,  flor ?
«Oh !  a rosa,  a rosa pica,
       Meu senhor !»
      
             João de Deus

8 Comments:

Blogger Menina do Rio said...

De tanto que pedes, já tens um buquet... Abraços pra ti, Manoel.

1:25 da manhã  
Blogger Elvira Carvalho said...

Não conhecia. Obrigada pela partilha.
Um abraço e uma boa semana

2:09 da tarde  
Blogger HADA said...

Adoro la fragancia del jazmin.....me recuerda tantas cosas.........

Saludos................feliz semana.

9:05 da manhã  
Blogger Maré Viva said...

Quanta beleza, tão bela na sua singeleza!
Um abraço

7:12 da tarde  
Blogger Maria Rodrigues said...

Que poema lindo!
Beijinhos
Maria

8:32 da tarde  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

João de Deus e sua simplicidade...

:)

8:32 da manhã  
Blogger Menina Marota said...

Como eu adoro ler as palavras de um autor Português! Reler João de Deus é sempre uma inspiração.

Grata pela partilha.

Um abraço e boa semana.

10:36 da manhã  
Blogger Parapeito said...

O sentido humano do lirismo de João de Deus é único...
Este Muito Pedir é cheio de graça e simplicidade.
Brisas doces **

10:09 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home