quarta-feira, outubro 15, 2014

LEONOR

A Leonor continua descalça,
o que sempre lhe deu certa graça.

Pelo menos não cheira a chulé
e tem nuvem de pó sobre ò pé.

Digam lá se as madames do Alvor
são tão lindas como esta Leonor

Um filhito ranhoso na mão,
uma ideia já podre no pão.

Meia dúzia de sonhos partidos,
a seus pés, como cacos de vidros.

Digam lá se as madames do Alvor
são tão lindas como esta Leonor.
      
         António Magalhães Cabral 
                 1931-2007
     
 

4 Comments:

Blogger Isamar said...

Gostei desta Leonor! Abraço

4:40 da tarde  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

tem sarcasmo qb

:)

10:51 da manhã  
Blogger MARILENE said...

A beleza dispensa adornos e se mostra até na simplicidade e na pobreza. Abraço.

7:00 da tarde  
Blogger Parapeito said...

nao conhecia...mas gostei muito desta Leonor...de certeza que nao é tao formosa...mas pisa mais firme...porque a vida é nao é tapete de relva...
Abraço***

10:15 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home