sábado, outubro 19, 2013

FLORESTA CONVULSA

Floresta de altas árvores, escuta :
Em minha dor vim conversar contigo,
Como no seio do melhor amigo,
Descanso aqui de tormentosa luta.

Troncos da solidão intacta e bruta,
Sabei... Ah ! que, porém, como um castigo
Vos estorceis, e o som do que vos digo
Vai morrer longe em solitária gruta.

Que tendes, vegetais?... remorso?... crime?...
Açoita-vos o vento, como um bando
De fúrias e anjos maus, que nós não vemos?

Mas explicai-vos ou primeiro ouvi-me,
Que a um tempo assim braceando, assim gritando,
Assim chorando não nos entendemos.

Alberto de Oliveira

2 Comments:

Blogger .•♫•. Nancy .•♫•. said...

✿ ❀ ✿ Bonjour et MERCI Manuel pour cette belle publication !
MAGNIFIQUE !
Je t'envoie de GROS BISOUS d'Asie
BONNE JOURNÉE !!! ✿ ❀ ✿

11:14 da manhã  
Blogger Baila sem peso said...

Já `tou melhorzita!...
Vim dar aqui um pulinho

Já li o soneto:
Floresta convulsa
onde alguém chora,
e outro trata com repulsa?!... :)

Felicidades no teu caminho
eu vou indo devagarinho

Beijinho

9:12 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home