segunda-feira, setembro 23, 2013

AQUI, longe

Aqui, longe do mundo, do vento
   seco e frio, do mundo agreste,
   teço os dias iguais, aguento
   como posso a vida que me veste
   de renúncia e desalento.
   
   Aqui, bicho fechado, de esquivo
   olhar e modos hesitantes
   no preencher do espaço morto-vivo,
   mais me disperso, ou antes
   menos me concentro _ só cativo
   
   de tédio maior que o levedado
   no mundo. De nada valeu reclusões ou fugas,
   fazeres de conta de enrolado bicho
   no contar dos anos, cicatrizes, rugas
   como se abrisse transmudado
   em oiro o que aqui se acumula _ pó e lixo.
   
   Fernando J. B. Martinho 


 

1 Comments:

Blogger jorge esteves said...

Uma solidão em tons de tela. Gostei.
abraço.
jorgesteves

5:37 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home