quinta-feira, setembro 12, 2013

DESNUDO

Uma muchacha se desnuda
a solas en su noche
delante del espejo.

Sobre el lecho caen ropas,
cintas, anillos, restos de frases
dichas al oído,
algunos cabellos.

Desde los hombros
una lenta luz baja
sobre los senos
con los colores de Cranach.

Queda la música secreta
de los pétalos
en la corola de su vientre.

Quedan las estrellas que nacen
junto a su lâmpara
y la Via Láctea del deseo
dando vueltas y vueltas.

Eugenio Montejo

4 Comments:

Blogger tulipa said...

OBRIGADO pela visita
e comentário deixado no meu blog

não queria mais uma vez
lamentar-me

no entanto, coisas boas
não tenho para dizer...

nem sei explicar
parece-me de todo
inexplicável e também
impossível
sentir que
passaram 30 dias
eu, em casa
e nada de proveitoso fiz
...
sem energia
sem interesse
sem motivação
sem disposição
...
estou prestes a regressar
ao trabalho
sem nenhuma vontade
...
por obrigação
...
o meu tempo
não foi dedicado
a nada
desapareceu por entre
os segundos e os minutos
das 24h que o dia tem

na poesia
leio
como o rolar do tempo
e ter sempre tanto tempo para contar
.
o problema foi esse
tive tempo
e não o aproveitei
.
depois
leio
alguns
dos comentários
para outras pessoas
.
sempre que leio:
És mais do que merecedor das amizades que tens!
.
dá-me uma pancada no peito
sinto
e penso:
porque também eu não sou
merecedora de amizades!

sinto-me
esquecida
ignorada
abandonada

deixo-lhe um beijinho

3:01 da tarde  
Blogger Elvira Carvalho said...

Mais um poema de um ilustre desconhecido (para mim claro) de que gostei.
Um abraço e bom fim de semana

4:18 da tarde  
Blogger Cristina Cebola said...

Grata por divulgar. Não conhecia, mas gostei e fez-me sorrir...

Boa semana e boas partilhas!

7:56 da tarde  
Blogger Célia sousa said...

puede ser una historia, de un corazõn partido...
Muy romântico...!

Salud
"Célia Sousa

10:15 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home