quinta-feira, dezembro 01, 2011

ABERTURA

De pé sobre a vaidade e a vanglória,
sobre a miséria que me prende ao mundo,
aflorando da lama em que me afundo
com uma febre estranha de vitória,

eu guardarei p'ra sempre na memória
esse germe tão cálido e fecundo
que se desprende, _ oh povo sem segundo! _
das páginas ideais da tua história!

Lanças, muralhas, cavalgadas, lutas,
o fragor dos combates, das disputas,
a fé e o sangue, a cruz sobre o arnez!

História de luz que as outras mais redime!
..............................................................................
Nem há no mundo orgulho mais sublime
de que poder gritar: Sou Português!

Armando Soares Imaginário

(dizem por aí que querem acabar com o feriado do 1º de DEZEMBRO)

8 Comments:

Blogger fgiucich said...

Un poema con la fuerza del patriotismo. Abrazos.

11:26 da manhã  
Blogger Je Vois La Vie en Vert said...

Bonito poema. E viva Portugal !

Beijinhos
Verdinha

11:53 da tarde  
Blogger poeta_silente said...

Oi, caro amigo!
Passei por aqui para te deixar um abraço.
Deus te abençoe.
Miriam

1:47 da manhã  
Blogger Ana Luar said...

Um poema que rejuvenesce um povo... com uma grande carga patriota.


Um beijinho de xaudade Manuel.

10:01 da manhã  
Blogger Vivian said...

Olá,Manuel!!!

Lindo poema!!!Um brado de orgulho e coragem!!
Beijos pra ti!!

2:14 da tarde  
Blogger redonda said...

Pelo menos a discussão sobre os fins dos feriados, poderá ter-nos posto a pensar mais sobre o que assinalamos com eles.
um beijinho
Gábi

12:01 da manhã  
Blogger Vieira Calado said...

E agora que vão acabar com o euro!

Saudações poéticas.

12:43 da tarde  
Blogger Ana said...

Podem acabar com o feriado , não acabarão com o orgulho de ser PORTUGUÊS !
Um beijo, Manuel, reatando memórias que o tempo não apaga .
Um beijo *

10:33 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home