quinta-feira, setembro 22, 2011

SAUDADE

Saudade! Lenços brancos me acenando
Numa clara manhã de despedida...
Além, na mata, um sabiá cantando
Dentro da noite de luar vestida.

Saudade! Pensamentos voando, voando,
Pela intérmina estrada percorrida...
Desejo inútil de ficar lembrando
Factos passados no correr da vida.

Saudade! Por de sol de minha terra,
Fazenda onde eu nasci, ao pé da serra,
Carros de bois, ao longe, a rechinar.

Saudade! Quantas vezes, contrafeito,
Eu procuro conter dentro do peito
Meu pobre coração que quer chorar!

João Carneiro de Rezende

4 Comments:

Blogger elvira carvalho said...

A saudade é sempre um aperto no peito que não nos deixa ver a beleza do presente.
Um abraço

8:56 da manhã  
Blogger manuel marques said...

"Quem parte leva saudades, quem fica saudades tem"

Abraço.

7:31 da tarde  
Blogger Carmem L Vilanova said...

Eita, a saudade!!!
Saudade dói e faz doer... e esse sentimento eu conheço bem de perto, como parte do meu dia, como o próprio ar que eu respiro...
Adorei a sua visita lá no meu blog!
Beijos, flores e muitos sorrisos!

7:53 da tarde  
Blogger sandrafofinha said...

Uauuuuuuuuuuuuuu!! Que espectaculo!! Adorei este poema!! Sentir saudades é muito bom,devemos sentir saudades dos momentos bons e felizes esquecendo tudo o resto que foi mau. Beijinhos fofinhos,um excelente dia,fica bem amiguinho!!

7:20 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home