sexta-feira, outubro 10, 2008

CREPÚSCULO

Tarde hibernal... O sol desaparece
Por entre os montes, vagamente,
E o vento passa, ciciando em prece,
Sobre a agonia da amplidão dormente.

O poente, a pouco e pouco, se enegrece,
E do carreiro o cântico dolente
Ouve-se, quando a lua resplandece,
Canto que chega a atormentar a gente.

Deserta o canto a solidão sem termo.
Vagos queixumes sobre a ramaria
Ficam pairando longamente no ermo.

A lua um pranto luminoso esfia...
E, dorido, o meu ser se prosta enfermo,
Enquanto uma ave tristemente pia.

Luís D'Alenquer

17 Comments:

Blogger Sereia Azul* said...

Olá!

Como sempre, uma seleccção perfeita!

Um abraço de brisa marinha*

Sereia Azul+

2:58 da tarde  
Blogger EternaApaixonada said...

Esperava por uma atualização com certa ansiedade...
A gente se acostuma, "de propósito", com o que é bom, belo...
"Crepúsculo" me encantou, talvez por ser um dos espetáculos que enternece meu coração...
Momentos... Paixão inconclusa... E a lua a compactuar com a dor...
Triste, mas lindo!

Tenha um ótimo fim de semana!

Beijos carinhosos.

3:53 da tarde  
Blogger Carla said...

mesmo triste o poema fez-me lembrar esse período melancólico do dia...que eu tanto gosto
beijos e bom fds

4:23 da tarde  
Blogger CeciLia said...

Olá,

vim alimentar a alma neste lado do mundo. Gostei do que li.

abraço,

5:59 da tarde  
Blogger Desnuda said...

Minha mãe sempre diz que o poente é melancólico...Lindo poema, Manuel.

Beijos

7:21 da tarde  
Blogger Bohemia said...

Ha ido cayendo la noche mientras leía sobre tu crepúsculo...Bss

8:14 da tarde  
Blogger elvira carvalho said...

Sempre encontro um poeta novo por aqui.
Um abraço e bom fim de semana

11:12 da tarde  
Blogger Cöllyßry said...

Sempre com poesia de encanto...

Beijito

11:34 da tarde  
Anonymous Sônia said...

Nossa! Isso é lindo e triste demais...snifff...

11:48 da tarde  
Blogger Madalena Barranco said...

Olá querido Manuel,

Ah, eu já estava com saudade de seu blog que sempre me recebe com lindos poemas, assim como esse do poeta Luis, nostálgico e com as fibras da alma em cada verso.

Beijinhos.

11:51 da tarde  
Blogger M. Jose said...

El atardecer en otoño es precioso verdad????
Entiendo casí todo lo que dices en el poema, pero como me gustaría entenderlo todo!!
Gracias por tu visita, te espero cuando quieras
Un abrazo
MJ

12:08 da tarde  
Blogger mariam said...

Manuel,
não conhecia este poema,,, é belíssimo.

adoro os fins-de-tarde Outonal... então perto do mar, são magníficos (tenho a mania de captar alguns em foto)

bom fim-de-semana
um grande sorriso :)

mariam

2:11 da tarde  
Blogger Sophiamar said...

Amigo, o teu blog é um espaço onde nos encontramos com a fantasia, o sonho, a alegria, a tristeza...os sentires da vida.

Lindo!

Beijinhos

Saúde por aí!

3:36 da tarde  
Blogger mariam said...

palavras...
não nos afastamos... pois não??!!!

:)

5:28 da tarde  
Blogger BETTINA PERRONI said...

Como siempre, bello leerte.

Que tengas hermoso fin de semana :)

Beijos

6:15 da tarde  
Blogger alma said...

Cuando el sol desaparece las vaes pían tristes...

8:33 da tarde  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

3:44 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home