terça-feira, setembro 23, 2008

À BEIRA DO MEU POÇO

À beira do meu poço
Não te debruces mais, que tenho medo
De perder o sossego desta água
De perder-lhe a pureza e o segredo...

No fundo há um astro a cintilar
_Uma gota de sangue a referver
Mas há olhos que o podem apagar
E que o não podem ver...

No frio desta água prisioneira
Perderias os teus olhos ideais.
sou um poço varado por um Astro
Não te debruces mais...

João Maia

7 Comments:

Blogger Emanuela said...

Lindo, maravilhoso este poema! Parabéns pela escolha!

2:28 da manhã  
Blogger Justine said...

Cheio de força mas também de ritmo, este belo poema.

5:13 da tarde  
Blogger Sophiamar said...

O blogue onde a poesia é rainha. E sabe tão bem.

Beijinhos

11:49 da tarde  
Blogger elvira carvalho said...

E sempre que aqui venho conheço um novo poeta. E ainda por cima um bom poeta.
Obrigada por partilhar.
Um abraço

10:49 da tarde  
Blogger Alice Matos said...

Delicioso este poema... se posso aplicar ao deleite uma palavra que constantemente ligamos ao paladar...

Um beijo para ti...

4:49 da tarde  
Blogger mariam said...

não conhecia!
é tão bonito.

obrigada.

:)

mariam

8:48 da tarde  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

3:44 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home