sexta-feira, agosto 01, 2008

APOLOGIA DA DESILUSÃO

Todos os dias morre em nós uma ilusão
e, logo após o sepultar quotidiano,
vê-se na nova campa este epitáfio vão:

Aqui jaz mais um rude e triste desengano...

Cada dia, em seu luto, o Sentimento Humano
nos crepúsculos chora a negra expiação
de haver feito aclamar som o sol meridiano
a Quimera envolvendo-a em beleza e emoção.

Por mim, não choro nunca as ilusões goradas,
que só por sua morte, as almas fascinadas
podem sentir a Vida em integral crueza...

Oiço, então, outra musa em que jamais se inspira
quem gosta de embalar incerto da mentira...
Oiço a Desilusão __ a única certeza...

Sanz Vieira

12 Comments:

Blogger Menina do Rio said...

E quantos desenganos...
Mas é certo que só pela ilusão é que sentimos a vida!

Um beijinho pra ti Manú

Tem um ótimo final de semana

7:58 da tarde  
Blogger Fénix said...

Sim, há sempre desilusão em tudo.
Depois pode haver aceitação... ou não.

Bom fim-de-semana!

8:43 da tarde  
Blogger david santos said...

Mas nós aceitamos?

Claro que sim!

Mesmo os mais rudes enganos,

porque a nossa vida, essa, sempre tem um fim.

Que pode ser o que não queremos,
mas que sempre o esperamos.

Lindo Soneto, minha amiga, muito lindo.

Parabéns.

David Santos

10:05 da tarde  
Blogger kukilin said...

Todos los días muere en nosotros una ilusión
y, luego después del sepultar cotidiano,
se ve en la nueva campa este epitafio vano:
Aquí yace más un rudo y triste desengaño...
Cada día, en su luto, el Sentimiento Humano
en los crepúsculos llora la negra expiacion
de haber hecho aclamar sonido el sol meridiano
la Quimera envolviéndola en belleza y emoción.
Por mí, no lloro nunca las ilusiones doradas,
que sólo por su muerte, las almas fascinadas
pueden sentir la Vida en integral crudeza...
Oigo, entonces, otra musa en que jamás se inspira
quien le gusta de embalar incierto de la mentira...
Oigo la Desilusión __ la única certeza...
Una belleza el poema elegido...
Besitos mil Manolito♥♥♥

11:03 da tarde  
Blogger Renata Maria Parreira Cordeiro said...

Mais um lindo mpoema, e esse eu não conhecia. EStou bem melhor que até fiz uma resenha sobre um filme inédito no Brasil, que tive a oportunidade de assistir. Há também um "elogio aos amantes", você vai gostar.
Apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

3:47 da manhã  
Blogger Martinha said...

Na nossa vida tudo é passível de nos causar tanto admiração, como desilusão. Mas tem que caber a nós aceitar essas discrepâncias, para vivermos bem.
Fica bem Manuel. *

12:14 da tarde  
Blogger Dalva Maria Ferreira said...

Ando de mal com a métrica e com a rima. Parecem uma camisa-de-força, que obrigam o gajo a andar nos trilhos, dando a tudo um "ar de coisa feita", pré-fabricada. Prefiro as poesias soltas... sem alusão às minhas próprias poesias. Um abraço transoceânico.

1:44 da tarde  
Blogger Manu Almeida said...

Verdades invisíveis q dpois de ditas surpreendem!

Lindos Poemas...
Mt bom gosto vc tem!

Parabéns!
Manu!!!

1:54 da tarde  
Blogger Olhos de mel said...

Oie lindinho! Ainda que envolto em tristeza, esse soneto é muito bonito! Desulusão vivemos a cada momento, quando os nossos sonhos e desejos não são realizados. Mas ainda assim, é preciso acreditar. É preciso se falar de amor, porque só ele, será capaz de transformar o mundo, a humanidade. Sabe Manuel, viajar ao infinito, é possível sim, quando em nossos momenos de entrega. Claro que não literalmente, porém em emoções.
Bom fim de semana!
Beijos

8:42 da tarde  
Blogger Cecília said...

Desenganos, desilusões...
Trazem tristezas mil, mas nos fazem compreender melhor a vida...
Tenha um ótimo fim de semana.
Bjsss

2:01 da manhã  
Blogger muxica said...

De la desilusión hablo hoy también yo.
Precioso poema que nos muestras.
Un biquiño

7:54 da manhã  
Blogger Alice Matos said...

"...Oiço a Desilusão __ a única certeza..."

Podiamos chamar a nossa vida de Enlevo e Desilusão... Em círculos viciosos de dor e prazer...
Deixa-me esquecer que existe Desilusão e gozar plenamente cada pequeno Prazer...

beijo grande para ti...

3:30 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home