quarta-feira, julho 09, 2008

ODE À MÃE-TERRA



Minha terra flor minha flor menina
Com sabor a gente a sol a campina

Recordo o azeite o trigo a que cheiras
Nas mágoas que são as mais verdadeiras

A nora a toar no viço das hortas
Canções de viver as horas já mortas

Lábios de mulher bocas de ganhão
Pensam beijos bons que sabem a pão

Saudade que vem de velhas cantigas
No eco da voz doutras raparigas

Na erva e no ar do campo sagrado
Que se entrega todo à luz do arado

A aldeia se faz de coisas perdidas
Cartas de um amor que foram esquecidas

Não te trocarei por outra isso não
Que é sempre mais teu o meu coração

Depois logo irei de novo encontrar
Um adro feliz para se beijar

E neste desejo e neste meu jeito
Desperto o amor que dorme no peito.

Augusto Barreiros

Correio do Ribatejo nº 5272 de 15 de Maio de 1992, pag. 28

22 Comments:

Blogger Renata Maria Parreira Cordeiro said...

Desse eu gostei, e muito. Adoro peosia portuguesa. Já que não posso ficar sem fazer nada, senão olho no espelho e me vejo magricela, 39 quilos, por causa da quimio, resolvi fazer algo aqui. Enquanto coleto material para "Bonequinha de luxo", postei sobre o filme "Sombras de Goya" que em Portugal ficou como no original "Os Fantasmas de Goya". Apareça por aqui:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,

PS: Traduzi um soneto de Shakespeare e pus no post

5:12 da tarde  
Blogger BETTINA PERRONI said...

Los colores de tus flores me alegran el día, despiertan la chispa que necesito para seguir bien.

Un abrazo querido Manuel

7:18 da tarde  
Blogger Cristina said...

Magnifico homagem a mâe-terra!

10:09 da manhã  
Blogger Alice Matos said...

Bonita imagem da terra...
Um poema cheio de ritmo, com uma métrica perfeita...

Um beijo para ti...

3:19 da tarde  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

bem rimado.

bonito poste.

beij

8:35 da tarde  
Blogger Vanda said...

Mãe terra fecunda e fértil que por vezes é tão esquecida!

E contudo tanto nos dá!


Um beijinho e obrigada por tantos mails com belissimas imagens!

9:58 da tarde  
Anonymous Luisa said...

Gosto desta poesia tão simples e tão cativante.

10:18 da tarde  
Blogger pin gente said...

até senti o cheiro da terra... do campo
bonito, manuel

abraço
luísa

10:41 da tarde  
Blogger poeta_silente said...

Oi, meu amigo!
Olaaaaaaaaaá!
Terra... mar... chão.... horizonte...
Tantas coisas que nos fazem sentir a poesia como um quadro a ser pintado cada vez que percorremos os olhos pelas palavras....
Aqui, em teu cantinho, belas poesias.
Deus te abençoe.
beijos
Miriam

2:33 da manhã  
Blogger Carla said...

A tradição que tempo não mata...o amor que o tempo alimenta.
Bom fim de semana
beijos

11:51 da manhã  
Blogger Marta said...

Que lindo!!!
Tão simples; tão doce....
Obrigada pela partilha...
Até já
Beijos e abraços
Marta

P.S.: Estou adoentada e por isso, a vida mais complicada

12:07 da tarde  
Anonymous Luisa said...

Obrigda pela visita. A minha sombra é outra: não refrigera a canícula.

1:18 da tarde  
Blogger Renata Maria Parreira Cordeiro said...

Esse sim é um poema lindo. Amigo, ontem eu estava num estado que à noite tive que ir ao médico, pois nada me parava no estômago. Anteontem estava com 39 quilos, ontem à noite, com 37. Gastei minhas últimas economias na contratação de uma enfermeira que parece um gigante, mas que me transporta no colo e cuidará da minha alimentação parental. A F@ pediu para eu fazer a resenha de "Fale com Ela".
Apareça:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo,

3:00 da tarde  
Blogger Olhos de mel said...

Oie lindinho! A mãe terra sempre será adorada... Lindos versos!
Bom fim de semana! Beijos

6:55 da tarde  
Blogger Martinha said...

Uma bonita ode, que salienta um dos principais produtores de alguns bens que nos fazem falta - a terra.
Bom fim de semana Manuel *

8:07 da tarde  
Blogger mundo azul said...

É lindo o poema!!!
Beijos de luz e um ótimo final de semana...

8:12 da tarde  
Blogger Desnuda said...

Lindo poema à Mãe Terra.

Ótimo fim de semana.

Beijo

2:05 da manhã  
Blogger Renata Maria Parreira Cordeiro said...

Amigo:
Fiz dois posts com obras do Carlo Rochas como desenhista e pintor. Vá prestigiá-lo:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com
não há ponto depois de www
Um beijo da Rê
Vc não vai arrepender-se

4:40 da tarde  
Blogger Menina do Rio said...

Debulhar o trigo
Recolher cada bago do trigo
Forjar no trigo o milagre do pão
E se fartar de pão
Decepar a cana
Recolher a garapa da cana
Roubar da cana a doçura do mel
Se lambuzar de mel
Afagar a terra
Conhecer os desejos da terra
Cio da terra, a propícia estação
E fecundar o chão
( O cio da terra - Milton Nascimento)

Um beijo pra tu Manu

7:43 da tarde  
Blogger Dalva Maria Ferreira said...

Abraço d'além-mar...

5:02 da manhã  
Blogger mariam said...

não conhecia...
gostei muito destes "cheiros e sabores"

um sorriso :)

10:00 da tarde  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

3:48 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home