quarta-feira, agosto 02, 2006

LUÍS VAZ DE CAMÕES


Busque Amor novas artes, novo engenho,
para matar-me, e novas esquivanças;
que não pode tirar-me as esperanças,
que mal me tirará o que eu não tenho.

Olhai de que esperanças me mantenho!
Vede que perigosas seguranças!
Que não temo contrastes nem mudanças,
andando em bravo mar, perdido o lenho.

Mas, conquanto não pode haver desgosto
onde esperança falta, lá me esconde
Amor um mal, que mata e não se vê.

Que dias há que n'alma me tem posto
um não sei quê, que nasce não sei onde,
vem não sei como, e dói não sei porquê.

Luís de Camões
nasceu 1524 ou 1525- f. 10-06-1580

25 Comments:

Anonymous TEMP_NUA said...

Camões maravilhosoooo,parabens pela escolha.
Beijo com aroma de TEMPESTADE

2:50 da tarde  
Blogger Clitie said...

Gosto de Camões, os sonetos são lindissimos.

Beijinhos

4:09 da tarde  
Blogger Patricia Minalla said...

Maravilloso, bello esteticamente bello.

Gracias por leerme y por visitar mi blog. Eres de un país muy hermoso Portugal de donde es mi apreciado autor Jose Saramago.

Te leo, un abrazo.

4:16 da tarde  
Blogger MalucaResponsavel said...

Ola,
o nosso Camoes era um autentico "don juan" (como a maioria dos nossos geniais poetas - e os q n o eram, eram loucos, bebedos, inausitados, rebeldes, sp um passo à fte, mas esquece, isto ja sou eu a divagar) e como tal a sua poesia era sensual, não no termo conhecido hj, mas de uma sensualidade possível na altura em que ele viveu. E o último paragrafo deste soneto é simplesmente genial, a definiçao de amor "nasce não sei onde,
vem não sei como, e dói não sei porquê." Bj gd

4:46 da tarde  
Blogger Hada Morena said...

Hermosas palabras

5:06 da tarde  
Anonymous Ofeliazinha said...

Gosto muito especialmente das 3 ultimas frases. Abraço e beijinho.

6:11 da tarde  
Blogger Luna said...

Bonito e intenso esse poema
beijocas

7:34 da tarde  
Blogger Saramar said...

Querido Manuel, boa tarde.
Estou de volta das pequenas férias, muito descansada e maravilhada com as belezas que vi.

Quanto ao soneto, não tenho palavras suficientes para falar de sua beleza, tanto do tema quanto da métrica perfeita. Ele é mestre.

Beijos

7:35 da tarde  
Blogger Bettina Perroni said...

Hola Manuel... he venido a saludarte después de mi ausencia por los blogs. Como siempre, nos regalas palabras y sentimientos que mezclados crean una emoción singular.
hablar del amor es hablar del poder más sublime que existe sobre la faz de la tierra.
Gracias por compartirlo.
Betty :))

8:07 da tarde  
Blogger La Caribeña said...

Gracias por visitar mi blog.
No hablo portugués, pero si lo leo, lo entiendo.
Puedes ver mis poemas en Escritura Vehemente.
Saludos desde Puerto Rico.

8:35 da tarde  
Blogger Bettina Perroni said...

Manuel, Olvidé mencionar que
la colina na foto de meu blog é chamada "Cerro de la Silla",
Porque parece Silla para Montar Caballo

Beijos e obrigado para suas palavras :))

8:45 da tarde  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

Boa escolha :)
beijos

11:51 da tarde  
Blogger AZUL said...

Hermosa....poetas que no conozco y que gracias a ti me acerco con ilusión,

Mil bikos.

12:17 da manhã  
Blogger Sandra said...

Camões é sempre Camões... Este soneto é lindo!!!

Beijoca :)

12:37 da manhã  
Blogger Carolina said...

Sou simplesmente APAIXONADA por Camões, em especial esse texto. :)

1:52 da manhã  
Blogger mademoiselle P said...

bastan dos o tres palabras universales para poder disfrutar las emociones escritas..

gracias por tu visita :)

2:34 da manhã  
Blogger Carolina said...

Agora que lembrei que você me perguntou sobre meus ascendentes. Eu não sabia, aí resolvi perguntar para minha mãe. Meu avô veio de Lisboa mesmo, mas já minha avó, veio de um povoado chamado Alva. Conhece? :)

3:02 da manhã  
Blogger Mel said...

Perfeito! Como gosto desse poema!
Apareça mais vezes, estou grata pela visita!

5:32 da manhã  
Blogger Carla Silva said...

Gosto muito de Luis de Camões. Linda escolha.
Beijinhos.

8:46 da manhã  
Blogger Lisola said...

Precioso Soneto. Interesante blog.

Un saludo.

Lisola.

9:28 da manhã  
Blogger Dafne said...

Olá Manuel
É sempre agradável ler Camões.

Bjokas

Dafne

2:40 da tarde  
Blogger Woman said...

Camões no seu esplendor...
Beijo

2:58 da tarde  
Blogger confusa said...

Adorei reler este poema.
Obrigada Manuel.
Beijo para ti.

12:28 da tarde  
Blogger angel said...

Qué hermoso poema de Camoes, un clásico que disfruto ahora en tu espacio. Gracias por ello.

saludos....

10:11 da manhã  
Anonymous Rafael-r.g.p said...

q poeta maravilhoso esse camões! Com suas poesias líricas q buscavam o amor espiritual expondo as contradições do coração... d+++ mesmo! um poeta renascentista q deve ser perpetuado com suas obras supremas.

5:36 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home