segunda-feira, fevereiro 23, 2015

MUSA DAS SOGRAS

NO   DOMINGO
     
A casa do compadre é muito sossegada
Nos dias de trabalho. Ali tudo é tranquilo,
De rusgas nem sequer o minimo sibilo,
Doce mansão de paz, esplendida morada.
     
Que família exemplar estando só !  Notada
É tanta mansidão. De vida bom estilo.
A harmonia não pode achar melhor asilo
Do que no seu seio; mas n'este mundo em nada
     
Pode haver perfeição, pois n'esse domicílio,
Onde a amizade canta fraternal idílio,
No domingo há motins, de paz sem intervalo,
     
Gritaria infernal, horrisona peleja
O compadre, nervoso e ríspido, esbraveja
Por ser dia em que vai a sogra visitá-lo.
     
Julio Camisão

8 Comments:

Blogger Graça Pires said...

Domingo. Dia da visita da sogra. Qual o motivo do alarido em casa tão pacata?
Achei muita graça ao poema, amigo.
Beijo.

12:24 da tarde  
Blogger Ada Medina. said...

He vuelto Manuel y te agradezco hayas pasado por mis diarios, que también son tuyos. Alguna vez leí un poema como el de esta entrada, y vuelvo a agradecerte por estas inspiraciones. Nos leemos pronto.

11:48 da tarde  
Blogger gota de vidro said...


Um poema com espirito , mas no fundo tem alho de muito real... :)

Bom fim de semana

Beijinho da gota

3:45 da tarde  
Blogger RECOMENZAR said...

Volvistw gracias por conectarte nuevamente
tus escritos bellos

4:04 da tarde  
Blogger Katina said...

un abrazo caluroso desde el frio sur de Chile ,gracias por tus palabras.

5:27 da manhã  
Blogger Katina said...

un abrazo caluroso desde el frio sur de Chile ,gracias por tus palabras.

5:27 da manhã  
Blogger CÉU said...

Esta é uma casa portuguesa, com certeza.

Poema muito engraçado e um pouco satírico.

Bom domingo!

12:44 da tarde  
Blogger Graça Sampaio said...

Eheheheheh.... De mais!!!

10:03 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home