quinta-feira, julho 05, 2012

FUMO ...

O fumo é a grafia com que escreve
A mão devaneadora da quimera
No seu estilo curvilíneo, leve,
E vário como um céu de primavera.

Eu dela (quem melhor a compreendera!)
Entendo só algum dizer mais breve...
Gente há que a compreende e a considera
Clara como o luar em chão de neve.

São os alheados, os que vão sonhando
Ininterruptamente, mesmo quando
Os chicoteia o máximo tormento,

Os que já sem remédio, ainda esperam,
Os felizes da desgraça. __ os que souberam
Por toda a sua fé num sentimento!...

Augusto Gil

2 Comments:

Blogger Sonhadora said...

Meu querido amigo Manuel

Mais um belo poema de um poeta que não conhecia.

Um beijinho
Sonhadora

8:15 da tarde  
Blogger Isa Lisboa said...

Valham-nos os alheados, que sonham ineterruptamente!
Não conhecia este autor, obrigada pela partilha!
E obrigada pela visita ao meu cantinho, seja sempre bem vindo!

11:48 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home