quarta-feira, maio 30, 2012

OLIVENÇA

POESIA: "JORNAL DE NOTÍCIAS", 30-Junho-2007


TRADIÇÕES EM PERIGO

Como um oásis numa planície ardente
emerge Olivença no nosso caminho.
O Sol de Verão castiga-nos, quente,
sem dar descanso por um bocadinho.

Olhamos felizes o casario branquinho
e a nossa alma um aconchego sente;
do Alentejo está ali um pedacinho,
naquela terra está uma nossa semente.

Os rodapés pintados, na sua beleza,
fortalecem mais ainda a convicção
de estarmos no Alentejo, com certeza.

Aqui e além, uma nova construção
faz nascer em nós alguma tristeza,
perante o esquecimento da tradição...

Estremoz, 25 de Junho de 2007
Carlos Eduardo da Cruz Luna




Atitude!
14/Abr/2007 20:18

Quiseram que escrevesses noutra linguagem
que não a tua, Vicente Vieira Valério;
desse modo, também prestarias vassalagem
a novos tempos, e a um novo império.

Disseste que não; e que a coragem
não significava mudança de critério,
e que, para ele, era como uma mensagem
de que se cairia em soez adultério

Morreste, dizem, em situação de pobreza,
na tua Olivença, que tanto, tanto amaste,
em atitude de inigualável firmeza.

Deste a vida pela língua que falaste
desde que nasceste. Pela língua Portuguesa
que com inexcedível dedicação usaste.

(Homenagem a Vicente Vieira Valério, vereador da Câmara deOlivença, que se negou
a escrever as actas em castelhano,em 1805, e foi por isso "dispensado", morrendo
à míngua de recursos)




18 Comments:

Anonymous Anónimo said...

A questão de Olivença...
... registei...

Beijo

Alice

10:22 da tarde  
Blogger Solina said...

Hermosos versos escritos con el corazón... me encantó caminar por
la linea de tus sentimientos.

Un abrazo grande de amistad
querida poeta

10:05 da manhã  
Blogger CamilaSB said...

Dois belos sonetos, onde Olivença é a musa inspiradora... infelizmente não conheço, talvez um dia tenha esse prazer... belas escolhas!
Obrigada por dar a conhecer a bela poesia que é nossa, quanto à questão da língua dessa região não opino, porque acho que é um assunto que diz respeito, sobretudo a quem lá vive, de qualquer forma admiro a coragem do homenageado! Beijinho!

2:57 da tarde  
Blogger Emília Pinto e Hermínia Lopes said...

Olá. Hoje vim só para lhe agradecer a visita ao Começar de Novo. Espero que tenha gostado e apareça sempre. Virei aqui mais tarde para ler tudo com mais calma. Já me fiz sua seguidora. Um abraço e obrigada
Emília

12:06 da tarde  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

Olivença como inspiração.

e a luta continua,sempre...

um beijo

2:54 da tarde  
Blogger manuela barroso said...

Linda terra que tem sabores e odores alentejanos, alegre com agradáveis recantos.
Em tempos de certo concenso,pergunto-me porque ainda é assunto tabú.
Poesia nostágica, linda
Gostei das sua visita.
Abraço

4:31 da tarde  
Blogger Sonhadora said...

Meu amigo

Um assunto que dava pano para mangas...dois lindos poemas com Olivença como musa.


Um beijinho com carinho
Sonhadora

3:08 da manhã  
Blogger fgiucich said...

Las tradiciones que van qudando tapadas por la modernidad. Abrazos.

1:33 da tarde  
Blogger Magia da Inês said...

❤♡ Olá!
Passei para uma visitinha.
Ao ler o primeiro soneto, imaginei uma aldeia romântica, tranquila e acolhedora...
Bom fim de semana!
Beijinhos.
Brasil
•.¸¸✿⊱╮¸¸.•

1:05 da tarde  
Blogger mendiga said...

quizas merece un traductor para poder entender mejor

3:29 da manhã  
Blogger lichazul said...

<muchas gracias por tu huella
un abrazo grande desde Chile

por lo que pude algo entender el sol marca los ciclos en la historia

ojalá una traducción, el on line tergiversa muchas palabras y cambia todo el significado

3:51 da tarde  
Blogger Carolina said...

Olá amigo, esta é um muito belo homenagem a um homem de gramdes conviccoes.
Um fuerte abrazo.

1:29 da manhã  
Blogger Marina-Emer said...

me gustan tus versos
saludos
Marina

4:17 da tarde  
Blogger Cristina said...

Gracias por tu encantadora visita y por dejar las huellas para llegar hasta tu sitio.
Abrazos desde Uruguay!

6:42 da tarde  
Blogger vieira calado said...

Olivença ainda é mesmo terra portuguesa?
Tenho de lá ir para ver!

Saudações poéticas!

4:19 da manhã  
Blogger María del Carmen García Lombardía said...

Excelentes versos trazados con lapluma del corazón por ello son de valor porque salieron de tu esencia misma que tiene gran valor.

Además agradecerte tu visita
dciendo:

Ha querido propiciar mi destino
Encontrarte en mi camino
A través de un espacio singular,
Dónde anidan gentes sabias,
Inteligentes, con dones,
Alegres, vitales, generosas,
Solidarias,
Que hacen un culto
De la amistad.
Por ello quiero
Dejar en mi huella
Un cofre con cariño
Para cuando nadie te abrace.
Mi mano extendida
Para cuando no tengas apoyo.
Mi mirar
Para cuando no puedas ver.
Y mi amistad verdadera
Cuando el horizonte
Se presente nublado.
Porque hoy decidí
Dejar mi huella
Con abrazo a puro sentir
Y celebrar en paseos
La amistad
En agradecimientos
De habernos encontrado
Con promesa de estar!
Dejo mi huella
Junto a una invitación
A mis blogs
Dónde te esperan
Decires y Premios
Poemas Y Reflexiones,
Arte y Recetas
Y un Mate
Criollo Y Compañero
Como símbolo de amistad.

Un Cariño
Tuya
María del Carmen
www.panconsusurros.blogspot.com

Y de ahí a viajar por mis otros blogs.
gmariadelcarmen28@yahoo.com.ar

6:09 da tarde  
Blogger La Gata Coqueta said...



Me voy a tomar un breve descanso…

Nos vemos a la vuelta.

¡¡Gracias por la comprensión!!

Me llevo tu nombre gravado en la valija donde reposa mí cariño. Y cuando regrese continuaré haciendo uso de la modestia de las palabras, para que sigan iluminando el cauce de la amistad que tiñe de colores la ilusión.
Con párrafos abiertos para valorar las impresiones, que brotan del entusiasmo producido por la comunicación entre amigos.

Un sentido abrazo
Dejando al viento
Los pensamientos

María del Carmen

10:23 da tarde  
Blogger AnaR said...

El equilibrio es saber comjugar tradiciones y modernismo,complicado, pero posible.

Gracias por tus palabras.Abrazos

9:05 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home