segunda-feira, julho 23, 2007

CANÇÃO

Eu venho de longe
Do fim da Distância
E trago no olhar
As sombras perdidas
Do fumo de aldeias
Onde ninguém mora.

Sou o vagabundo
O pobre da estrada
Que nasceu do amor
Que aconteceu
Entre uma nuvem roxa
E um astro
A morrer.

Andam-me nas veias
Lembranças de mar
Trouxe-me no ventre
A vela mais alta
Das naus
Do Brasil.

E os afagos lentos
Das asas do céu
E a carícia suave
Dos ventos fagueiros
Deram-me a tristeza
Do olhar cansado
De quem não encontra
O porto
Sonhado.

Mas eu sei que existe
E que será meu
Este ancoradouro
Onde sou esperado.
Sei que sou eu éco
Duma voz ao longe,
Que vivo entre as folhas
Dum missal antigo
Onde tu virás
Para rezar
Um dia.

E as contas negras
Dos teus olhos castos
Desfazem o encanto
Que me transformou
Em poeira de ouro
Sobre o livro santo.

E então será
Toda uma redenção :
Cada gesto teu
Cada oração
Cada olhar de súplica
Que elevares ao céu
Me fará surgir
Mais nitidamente
Feito luz e sombra
Mesmo à tua frente
Para ajoelhar e
E cingir-te
A mim.

E há-de haver corais
Que só nós ouvimos
Cantando aleluias
E tanger de sinos
E luz nos vitrais
Que nos iluminem

E então partiremos
E serás só minha.

E para além do tempo
Que não tem depois
Há-de abrir-se um mundo
A vermelho e ouro
Onde nos perdemos
No beijo infinito
Que então te darei
Que me anda na boca
E me queima o sangue
Desde os mares distantes
Onde te sonhei.

Pimentel Bastos

48 Comments:

Blogger Celeste said...

"De quem não encontra
O porto
Sonhado.

Mas eu sei que existe
E que será meu"

¡Cuánto lo siento!

A veces, tan sólo querer es el sentido de todo.

Beso celeste.

4:45 da tarde  
Blogger SAM said...

Não sabes o quanto me faz bem estar aqui neste belo espaço!

Obrigada!

Beijo enorme.

5:27 da tarde  
Blogger poeta_silente said...

"...Mas eu sei que existe
E que será meu
Este ancoradouro
Onde sou esperado.

...E as contas negras
Dos teus olhos castos
Desfazem o encanto
Que me transformou
Em poeira de ouro
Sobre o livro santo.

...Me fará surgir
Mais nitidamente
Feito luz e sombra
Mesmo à tua frente
Para ajoelhar e
E cingir-te
A mim.

...Onde nos perdemos
No beijo infinito
Que então te darei
Que me anda na boca
E me queima o sangue
Desde os mares distantes
Onde te sonhei".

Manuel!
Um poema em grande estilo. Um maravilhoso poema com o qual nos brindas, ao entrarmos em teu cantinho. Coloquei algumas passagens lindas... mas todas o são..
As palavras do poema decifram emoções intensas... verdadeiras. Eu já as senti na minha vida. É maravilhoso sentí-las. E esplendoroso quando nos deparamos com tão perfeitas definições de sentimentos. Tudo nela é perfeito.
Mas deixo aqui este pedacinho, que me tocou profundamente:
"...Que me transformou
Em poeira de ouro
Sobre o livro santo."
Um verdadeiro amor, Manuel, é a poeira do ouro com que Deus nos amou e nos deixou por herança. Se amamos intensamente, com certeza estamos vivenciando um pouco do sublime, um pouco do divino. E eu tive este privilégio. De amar intensamente... embora não tenha sido merecedora do sentimento de quem tanto amei.
Poesia que me deixou sem fala logo ao ler. Linda.
Beijos
Miriam

6:28 da tarde  
Blogger Sereia Azul* said...

Já há muito que não mergulhava no teu espaço! Continua cativante e com boa selecção poética!

Um abraço de brisa marinha

Sereia Azul*

7:41 da tarde  
Anonymous isabella benicio said...

Não fosse todo o poema belíssimo, a última estrofe já me deleitaria com louvor. Belíssima escolha, Manuel. Obrigada pelo presente.
E obrigada também por tuas visitas que gosto tanto.
Aproveitando, peço licença pra te linkar. Beijo.

7:51 da tarde  
Blogger Flávia said...

Obrigada pela visita ao meu cantinho... aqui no Brasil a realidade do ensino superior não é muito diferente, não. Esse post foi inspirando numa conversa que tive com uma senhora que trabalhava para minha família, e que sempre tocava meu coração quando falava no filho.

Adorei seu blog... é sempre bom encontrar amantes de poesia. Fique certo de que terei prazer em retornar outras vezes.

Beijos, seja bem-vindo sempre.

7:53 da tarde  
Blogger Azul said...

Hermosa canción....amar da un vuelco para bien o no tan bien, pero mientras se ame sin duda alguna se vive!

Bikos mil.

8:55 da tarde  
Blogger Claudia Perotti said...

Gostei muito do texto!!!!
Boa semana para ti!

Beijinhossss

9:07 da tarde  
Blogger Entre linhas... said...

Amiguinho comentei hoje de manhã no teu blog,ainda não tinhas comentário nenhum e desapareceu,sabes o pq?
Sempre nos maravilhas com lindos poemas.
Bom início de semana
Bjs Zita

10:46 da tarde  
Anonymous alem horizonte said...

Uma canção muito bela...
Quanta musicalidade nas palavras, quase se sente o toque de um piano ou viola e uma voz que dá "corpo" ao poema.
E,fico a ouvir esta cançao um pouco mais.
Em slêncio, porque ela tudo diz!
Beijos
MJ

12:45 da manhã  
Blogger Trini said...

Gracias por tu visita. Saludos

12:35 da tarde  
Anonymous elvira said...

Maravilhoso poema. Gostei muito. Não tenho muito jeito para comentar poesia. Sempre pensei que poesia sente-se, não se comenta.
Muito obrigada por me ter dado a conhecer algo tão bonito.

2:42 da tarde  
Blogger a Silvia said...

Bellas palabras, un poco de lo que necesito leer para soñar.
un abrazo

4:49 da tarde  
Blogger Ana R said...

La poesia está dotada de una musicalidad divina.Esta además es increiblemente hermosa...

Fico bem .Gracias

Un abrazo

8:08 da tarde  
Anonymous anne said...

Oi Manuel, uma escolha maravilhosa, quanto sentimento num só poema.
Beijo terno.

9:31 da tarde  
Anonymous Rosa Maria said...

Li...reli...adorei...:)

9:54 da tarde  
Blogger Blueshell said...

Gostei imenso!

Voltarei com mais regularidade.

BShell

11:19 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Penélope não terá ouvidos senão a ti Ulisses. Ítaca silenciará para a harpa dos amantes.

Calor de abraço, tua poesia.

Mei

2:07 da manhã  
Blogger Tânia Defensora said...

Muito belo seu espaço! Adorei as poesias. Li seu comentário a respeito de minha terra. Quando puder venha conhecer o Pantanal, a Chapada dos Guimarães e a Floresta Amazônica. São três ecossistemas que estão dentro de Mato Grosso. Obrigada pela visita.

3:02 da manhã  
Blogger Professorinha said...

Eu sou de longe...

De para além do longínquo e agreste azul... onde tudo acaba e tudo começa...

:)

11:41 da manhã  
Blogger sónia said...

maravilhoso!

um beijo

11:51 da manhã  
Blogger Maria Liberdade said...

Muito bonito.

12:40 da tarde  
Blogger Vieira Calado said...

Um espaço poético muito interessante, variado e com belíssimos textos.
Bom rersto de semana

3:34 da tarde  
Blogger Kukilin said...

Bonísimo poema un canto al amor y la esperanza y ojalá encuentres el puerto soñado.
Abrazos, besos y mucha esperanza...

8:23 da tarde  
Blogger claudia said...

obrigada!
sssshhhh un secreto..!! hoy le pedí a alguien a quien quiero mucho que me tradujera este bello poema que escribiste,ya que no podía comprenderlo completamente, y por un momento al ir leyéndolo, soñé y volé sintiendo que era él quien me decía esas palabras...
Tienes un hermoso blog Manuel, gracias por visitarme, espero que también te guste mi espacio
Te regalo un poema...

Só estrelas

Dobro o lencol
dobro a noite
machucada
de estrelas

lá fora
a noite dobrada
no lencol
desperta o rosto
do sol sonolento

só estrelas
sairáo dos teus olhos

Lourdes Sarmento
Rituais do desejo

Beijo enorme

4:26 da manhã  
Anonymous Princesa said...

Bem...simplesmente adorei a letra desta "canção"...
Transporta-nos por mares e cantos de sereias, baías de piratas e caças ao tesouro...da alma!

Forte abraço Manuel, parabens pelo espaço.
Obrigada pela visita...

Abraço - Princesa
www.espelhos.blogs.sapo.pt

9:35 da manhã  
Blogger Jacinta Correia said...

Lindo!

3:05 da tarde  
Blogger Cris said...

As tuas escolhas são extraordinárias. Desculpa a ausência, mas estou de férias e esqueço-me .... do computador! :)
Ainda mais que agora vou para a Feira, NISARTES, é uma feira internacional de artes tradicionais, para quem goste de artesenato e boa comida, não há melhor. Passa por Terra, e acede ao link da coudelaria ribeirinho paralta, vais ver que vais gostar está lá o programa todo. Eu Estou Lá! No stand da Coudelaria, óbvio!

Beijinhos

3:42 da tarde  
Blogger Alice said...

"E a carícia suave
Dos ventos fagueiros
Deram-me a tristeza
Do olhar cansado
De quem não encontra
O porto
Sonhado."

Lindo...

Passei para ler e deixar um beijo...

5:22 da tarde  
Blogger Bettina Perroni said...

Yooo soy la que viene a interpretarte una linda canción a la vida y al amor.

Te abrazo Manuel deseándote un felizz dia, una felizzzz tarde ;)

5:30 da tarde  
Blogger Olhos de mel said...

Fiquei emocionada! Quanto amor, quanto desejo e quanta esperança!...
Fique com Deus!
Bjs

6:22 da tarde  
Anonymous Luisa said...

Lindo poema! Gostei de todo ele mas principalmente do princípio, onde o poeta descreve a sua origem, tão vaga, "de aldeias onde não há ninguém". Mas pouco a pouco vai-se materializando e vemo-lo à procura da amada que nem sabe que ele está para chegar. Tão belo e tão misterioso! Descobres poetas espantosos!

9:38 da tarde  
Blogger Palavras ao vento said...

Não comento o que senti...

Mais uma vez, obrigada Manuel!

Beijo da

Maria

1:17 da manhã  
Blogger Freyja said...

te dejo muchos cariños y que estes muy bien amigo
besitos y hermosos versos
un abrazo muy grande

besos y sueños

2:31 da manhã  
Blogger MARTA said...

Apesar da distância...encontramos quem nos quer bem...Adorei o poema..
Obrigada pela visita...mas acho que nem os reis são totalmente livres...e pensando bem, nem as aves raras...
Obrigada mais uma vez...
Até já
Beijos e abraços
Marta

2:06 da tarde  
Blogger Felipe Fanuel said...

Linda canção! Verdadeira saga que, no início, lembra os romances de cavalaria, onde o cavaleiro andante vem de algum lugar distante. Só que este eu-lírico é demasiadamente pintado de romantismo. Afinal, o importante aqui é a reminiscência, a lembrança, a nostalgia. Ao ler, impossível não entrar na história, tão poética e tão prosaica ao mesmo tempo.

Obrigado por nos brindar com mais uma obra de arte, Manuel!

Abraços fraternais.

2:06 da tarde  
Blogger Pekena said...

Obrigada pela sua visita ao meu cantinho :)

Bom fim-de-semana,
beijo.

3:47 da tarde  
Anonymous Secreta said...

O longe , pode estar tão perto ...
Beijito.

4:29 da tarde  
Blogger tufa tau said...

gostei muito de cá voltar...
encontra-se um porto... um bom porto de abrigo.

9:24 da tarde  
Blogger mymind said...

oh tao bonito =)
bm f-d-s
bjinhos grandes!!

10:04 da tarde  
Anonymous Célia said...

Ola Manuel, tudo bem ?
Um otimo fim de semana a você.
Se cuida.
Beijos
Célia

1:45 da manhã  
Blogger A COR DO MAR said...

Oi Manuel passei um bocadito sem tempo, mas chegou pra ler este poema de encher a alma :)
Deixo-te um beijinho *

3:57 da manhã  
Blogger Madalena Barranco said...

Que coisa mais linda!!! Manuel, querido amigo, estou encantada com as poesias de qualidade que postas no teu blog. Ao ler esta poesia senti-me como numa viagem ao tempo aportando nas terras de Santa Cruz... Beijos.

11:15 da tarde  
Anonymous Paulo said...

Oi Manuel,
Linda canção...Parabéns pelo post!
Boa semana,
Paulo

3:52 da manhã  
Blogger serenidade said...

Linda esta canção.

Encontrar o porto sonhado é o sonho de cada um, embora alguns já tenham consciencia que esse porto tão sonhado está bem pertinho, está bem dentro de cada um de nós...

Bom domingo

Serenos sorrisos

6:22 da tarde  
Anonymous tufatau@gmail.com said...

encontrar o porto sonhado não é fácil...

8:25 da tarde  
Blogger Ana R said...

La poesia siempre es un buen espacio para soñar.
Sí, tienes rrazón habia mucho más en el poema .

Un abrazo

10:32 da tarde  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

4:02 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home