sábado, outubro 01, 2016

O PALACIO DA PAZ

Ò palácio da Paz !  Que imensa glória
N'um século inquieto e turbulento
Dàs, num milagre, às paginas da História
A história d'esse altivo monumento !
     
Dizer à Guerra :  Pàra ! E à efervescência
Da ambição, da política invejosa,
Da luta dos int'resses, na veemência
Do rugir das paixões, essa onda irosa:
     
_Só a Paz é profícua, o forte laço
Que tanto prende sem magoar o pulso ;
Leva-nos ao triunfo o seu abraço,
À dita universal, o seu impulso !
     
Só ela é grande, a atlética figura
Que deve, enfim, domar, reger a vida,
Não à custa d'angústias e tortura,
À passagem da guerra fraticida.
     
Mas em jorros de luz e de justiça,
Hasteando a bandeira da verdade,
Abatendo os esforços da cobiça,
Para alcançar o bem da humanidade !
      
                      Amélia Jany

8 Comments:

Blogger Elvira Carvalho said...

Gostei. Mais uma poetisa que não conhecia.
Um abraço e bom Domingo.

7:00 da tarde  
Blogger Graça Pires said...

Não conheço Amélia Jany. Gostei muito deste poema. Neste tempo em que todos os dias nos entram pela casa cenas de violência, ódio e guerra, faz bem ler alguém que deseja a Paz "em jorros de luz e de justiça, Hasteando a bandeira da verdade,Abatendo os esforços da cobiça,Para alcançar o bem da humanidade". Obrigada pela partilha.
Uma boa semana.
Beijos.

11:36 da manhã  
Blogger Parapeito said...

Nunca tinha lido nada de Amélia Jany.
Gostei muito.
cada vez menos se lê sobre a Paz...devia ser ela laço que nos unisse uns aos outros.
Grata pela partilha ****

8:56 da manhã  
Blogger Franziska said...

Mas em jorros de luz e de justiça,
Hasteando a bandeira da verdade,
Abatendo os esforços da cobiça,
Para alcançar o bem da humanidade !

Creo que en estos ñultimos cuatro versos quedan reflejados los mejores pensamientos sobre el tema trabajado. La verdad, a mi me gusta mucho que la poesía se emplee para tratar temas no personales aunque también disfruto leyendo la poesía intimista.

Saludos cordiales. Franziska

12:51 da tarde  
Blogger tulipa said...


Olá Manuel

Em jorros de luz e de justiça ...aqui chego

Belíssima partilha.
Nunca tinha lido nada de Amélia Jany. Obrigado.

"Devemos coleccionar experiências e não, coisas!!!"

Experiências como:
vida, luz, justiça
felicidade, sorrisos, sonhos
mastigar as sílabas
soletrar nomes
ter as nossas memórias
ouvir o vento levando os versos

Sempre que quiser,
venha "viajar" comigo.


abraço da Tulipa

9:26 da tarde  
Blogger Mariazita said...

Até hoje não conhecia Amélia Janny... mas, curiosa como sou, fui informar-me e descobri, entre outras coisas:
"Evoca hoje este Instituto de Coimbra Amélia Janny, uma curiosa figura de Mulher e de Poesia do puro romantismo coimbrão, que em Coimbra nasceu... "
Acho muito louvável que se dêem a conhecer vultos desconhecidos.
Excelente escolha. Gostei imenso do poema.

Bom Fim-de-semana
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

10:03 da manhã  
Blogger Franziska said...

Acabo de abrir un nuevo blog que dedicaré a la publicación de algunos de mis poemas realizados durante unos quince años, aproximadamente. Si lo deseas, puedes visitarme en la siguiente dirección:

http://franciscagarciamenendez.blogspot.com

la página se abre como "EL CANTO DEL RAITAN"

No quisiera comprometerte porque es posible que a tí solo te guste la poesía medida y rimada y yo trabajo en verso libre, algunas veces con rima asonante. Y sin prestarle ninguna forma al formato porque yo voy al fondo de la idea que quiero expresar.

Saludos cordiales.

6:02 da tarde  
Blogger MEU DOCE AMOR said...

Olá:

A esperança...

Beijinho doce

2:22 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home