domingo, abril 03, 2016

NA VÉSPERA ...

É noite velha e triste, por sinal;
Eu v^-lo ao varandim que dá pró mar...
Como se casa bem com o meu mal
A tristeza da noite sem luar !...
     
Eu vê-lo... E fito triste o areal
Que às vezes uma vaga vem beijar :
Beijos de Amor. Mulher, eis o Ideal
Que à natureza eu tenho de invejar !...
     
E como é grande o meu tromento crê.
E como eu sofro ao ver de mim ao pê
Os beijos que o Mar dá cheio de ardor.  
     
É noite sem luar. É noite triste.
Vou partir. Mas que importa se inda existe
Em minha Alma o luar do teu Amor ?
     
                         Salema Vaz

9 Comments:

Blogger Aninha Ferreira said...

se um dia e triste so nos resta faze-lo ficar alegre

2:35 da tarde  
Blogger Graça Pires said...

Um soneto a lembrar a Florbela.
"Como se casa bem com o meu mal
A tristeza da noite sem luar !..."
Gostei imenso.
Beijo, amigo.

12:01 da tarde  
Blogger Ana S. said...

Muito bonito e romântico, embora triste.
Boa semana

6:43 da tarde  
Blogger Ana Freire said...

Efectivamente, fez-me lembrar Florbela Espanca...
Não conhecia esta autora!
Excelente partilha!
Abraço! Continuação de uma boa semana!
Ana

5:13 da tarde  
Blogger Maria Rodrigues said...

Nostálgico e belo.
Um abraço
Maria

11:34 da tarde  
Blogger Diana Fonseca said...

Que importa mesmo...

7:26 da tarde  
Blogger Elvira Carvalho said...

Mais uma poetisa que não conhecia e que me agradou, pese a nostalgia que o soneto encerra.
Um abraço










8:58 da manhã  
Blogger Marisa Raquel Fonseca said...

Obrigada pelo comentário no meu blogue! É um prazer descobrir seu blogue e tão lindo poema!
Beijinhos
https://cocojeans.blogspot.pt

9:30 da manhã  
Blogger Siboney said...

É noite sem luar. É noite triste.
Vou partir. ...

encantame esas palabras!!!

9:35 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home