terça-feira, março 17, 2015

QUE SOMBRA

Que sombra eu sou
Que a todos apetece
Sugar, esconder, esquecer e denegrir ?
Os passos que me pisam
E ressoam
Há mil anos ecoam
As vozes de negar
E de trair.
Que sombra eu sou
Que ensombra toda a gente,
Os amigos, os mortos,
A família.
E aquela imensa estrada
Semovente
De líquida vigília,
De livre continente,
Destino meu, alheio e não presente ?
             Natércia Freire

7 Comments:

Blogger Elvira Carvalho said...

Gostei.
Um abraço

10:49 da manhã  
Blogger Franziska said...

Qué bello y armonioso es el recorrido por tus versos hay en ellos una gran paz y aceptación en el presente y es hermosa su forma llena de sonidos acompasados y sentidos.

Un abrazo. Franziska

3:48 da tarde  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

sombra ou sombras da vida..

:)

9:30 da manhã  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

sombra ou sombras da vida..

:)

9:31 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Sombra. Jamás te abandona. Abrazo

3:10 da tarde  
Blogger Arantza G. said...

Vaya, salí como anónimo. Soy Arantza G.

3:11 da tarde  
Blogger Daniel C.da Silva (Lobinho) said...

Seremos sempre a unicidade do próprio eu... vestida com a riqueza de tudo o que vivemos... mau e bom...

Um forte abraço

6:10 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home