segunda-feira, setembro 03, 2012

O MAR OSCULA A TERRA

O mar oscula a terra docemente
Na cega aspiração que vem d'outrora.
A terra fica triste e inocente
Que depois de beijada sempre cora.


Passa a maré! E logo o vão desejo
De tornar ao momento que passou.
É que o mar, naquele curto beijo,
Nem ele sabe mesmo se amou.


Assim os dois elementos se juntaram
Numa ânsia fremente de ventura
Que deu luz e côr a este Todo!


Quisera amar assim... Mas, oh! Loucura!
O amor que a terra come e sempre dura
Não passará jamais d'eterno lodo!


João Mendes Pereira

6 Comments:

Blogger Maria Valadas said...

" O MAR OSCULA A TERRA" e tu...
OCULTASTE O MEU BLOG da lista.

Obrigada

Maria

2:39 da tarde  
Blogger Mona Lisa said...

Como um amor de Verão!

Adorei o poema. Não conhecia.
Obrigada pela partilha.

Beijos.

10:28 da tarde  
Blogger manuela barroso said...


"O amor que a terra come e sempre dura
Não passará jamais d'eterno lodo!"
Não será a cor do Todo.Mas vale sempre a pena lutar por mais luz!

Um soneto belíssimo que
desconhecia.
Abraço amigo




10:46 da tarde  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

o mar oscula a areia....

beij

1:50 da tarde  
Blogger Magia da Inês said...

¸.•°`♥✿彡✿♥`°•.¸
 ┊  ┊  ✿
 ┊  ✿
 ✿
Muito lírico!
Bom fim de semana!!!
Beijinhos.
Brasil.

11:42 da tarde  
Blogger myra said...

obrigada por ter vindo me ver, aqui estou e gostando muito dos poemas!!!!

11:02 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home