sábado, outubro 17, 2009

PABLO NERUDA soneto LXVI

Não te quero senão porque te quero,
e de querer-te a não te querer chego,
e de esperar-te quando não te espero,
passa o meu coração do frio ao fogo.

Quero-te só porque a ti te quero.
Odeio-te sem fim e odiando te rogo,
e a medida do meu amor viajante,
é não te ver e amar-te como um cego.

Tal vez consumirá a luz de Janeiro,
seu raio cruel meu coração inteiro,
roubando-me a chave do sossego,

nesta história só eu me morro,
e morrerei de amor porque te quero,
porque te quero amor, a sangue e fogo.

Pablo Neruda
._._._._.
Soneto LXVI
Pablo Neruda
No te quiero sino porque te quiero
y de quererte a no quererte llego
y de esperarte cuando no te espero
pasa mi corazón del frío al fuego.

Te quiero sólo porque a ti te quiero,
te odio sin fin, y odiándote te ruego,
y la medida de mi amor viajero
es no verte y amarte como un ciego.

Tal vez consumirá la luz de Enero,
su rayo cruel, mi corazón entero,
robándome la llave del sosiego.

En esta historia sólo yo me muero
y moriré de amor porque te quiero,
porque te quiero, amor, a sangre y fuego

15 Comments:

Blogger Maria said...

Obrigada pela leitura que me proporcionaste. Amo Pablo Neruda...

Bom domingo.
:)

9:08 da tarde  
Blogger elisa...lichazul said...

manuel

que decir del maestro y sus letras
que el romance está vivo

aunque el neruda que más me gusta es del Canto general:=)

besitos de luz

9:43 da tarde  
Blogger Lira Santos said...

Ami me ha encantado..
Obrigada por passar por meu Blog,
Um feliz fim de semana,Manuel

11:57 da tarde  
Blogger Menina do Rio said...

Sempre com belissimos poemas, Manuel. Neruda é sem dúvida um dos meus favoritos!
E é sempre bom ver-te em minha casa.
Obrigada querido.

Um beijo pra ti e um ótimo domingo

12:22 da manhã  
Blogger Desnuda said...

Manuel, você me mata com tanto sentimento e beleza, amigo! Bonito demais!


Carinhoso beijo!

2:24 da manhã  
Blogger Gala said...

Que grande Neruda.
No me canso de leerlo.

Muchos besos y gracias por tu visita.

10:39 da manhã  
Blogger maria teresa said...

Não conhecia este poema de Pablo Neruda mas gostei.
Obrigada pelo lembrete, abriu-me o apetite para reler algumas "coisas" dele.
Bom domingo

10:56 da manhã  
Blogger Graça Pires said...

Pablo Neruda é o poeta que a todos proporcionou o poema ou a frase certas para os momentos mais intensos da vida. Obrigada pela partilha.
Obrigada pela visita. Um abraço.

5:10 da tarde  
Blogger Sonia Schmorantz said...

Este é um daqueles poemas especiais de Neruda!
abraço, ótima semana

5:38 da tarde  
Blogger Dalva M. Ferreira said...

Amo Neruda lírico, é o meu livro de cabeceira.

12:46 da manhã  
Blogger Eliane said...

merci de ta visite sur mon blog

les textes je ne comprend pas.

Bonne journée et ajoute quelques

photos... bisous de Belgique !

7:10 da manhã  
Blogger sónia said...

uma boa semana :)

bjinhos

9:51 da manhã  
Blogger fgiucich said...

Cuánto amor en tan buenos versos!!! Abrazos.

12:14 da tarde  
Blogger KARMILA said...

Excelente seleção, que mais do que Neuruda.

Beijos¡¡

10:03 da tarde  
Blogger Conceição said...

o soneto sempre uma estrutura poética de grande porte e beleza quando com mestria como estes que aqui li.
Bj
Luz e paz em teu caminhar

10:59 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home