quarta-feira, maio 27, 2009

ILUSÕES MORTAS

Morreu-me enfim, amarguradamente,
A mais doce das minhas ilusões...
Que vale a vida sem as seduções
De uma esperança que nos acalente?...

Foi breve o sonho que tão docemente
Encheu-me a vida de fascinações...
Morto o ideal das minhas ambições,
Ficou-me a dor que mata lentamente...

Outrora eu via a rutilar brilhante,
Iluminando o céu da minha vida,
A promissora estrela da Esperança,

Agora eu vejo (ó causa apavorante!)
O céu mudado em noite denegrida,
Onde não surge um íris de bonança.

João Baptista de Morais Ribeiro

31 Comments:

Blogger Desnuda said...

Este lindo soneto emocionou-me as lágrimas...Tão lindo e tão real...

Obrigada pelas bela partilha, amigo.


Beijos com carinho

9:35 da tarde  
Blogger Chris said...

Parabéns pelo seu espaço e pelas palavras.

Cumpts,
C. Fernandes

2:00 da manhã  
Blogger PIER BIONNIVELLS said...

Que lineas más sentidas!!
Me ha encantado!!

Que estes bien..
Te dejo abrazos.

2:43 da tarde  
Blogger Martinha said...

De facto, um pouco de ilusão na nossa vida torna-a mais atraente e bela. No entanto não devemos criar demasiadas ilusões, porque já dizia o ditado, quanto mais alto o sonho, maior é a queda...
Fica bem Manuel. :)*

10:58 da tarde  
Blogger AnaR said...

Un saludo, dejo un aviso en mi blog.Un gusto volver a saludarte.

http://elespaciodeunlatidooriginal.blogspot.com/

11:01 da tarde  
Blogger Liliana Lucki said...

Un placer absoluto.

Saluda Liliana.

11:44 da tarde  
Blogger Baila sem peso said...

Um arco-íris de bonança
faça renascer esperança!

dizem que é a última que morre

na ilusão, nada da vida corre...
apenas o sonho nos move!

Bom fim de semana
Beijinhos

12:45 da tarde  
Anonymous Ofeliazinha said...

Vim deixar beijocas. ;)

5:14 da manhã  
Blogger alma said...

Dentro de nosostros moran la luz y la oscuridad y conviven...

9:37 da manhã  
Blogger fgiucich said...

Una profunda tristeza por esas ilusiones perdidas. Abrazos.

3:16 da tarde  
Blogger Parapeito said...

...que crúa é a vida...sem esperança...
*
Uma semana cheia de brisas mansas.

10:33 da tarde  
Blogger Mariazita said...

O “Lírios” assinala o Dia Mundial da Criança.
Queres ir conferir?
Um dia feliz.

Beijinhos
Mariazita

12:56 da tarde  
Blogger Jacinta Correia said...

Lindo o poema - carregado de uma profunda falta de esperança que parece tornar-se mais intensa ao cair da noite. Bj e boa semana.

7:59 da tarde  
Blogger Ana Maria said...

Emocionante!
Beijinhos!

4:24 da manhã  
Blogger Professorinha said...

Quem me dera que as minhas ilusões nunca morram!

Bjs

5:43 da tarde  
Blogger Jacinta Correia said...

perante a morte da ilusão, resta á alma deixar-se iludir novamente e reconquistar a capacidade de sonhar. Bj

12:45 da tarde  
Blogger Dalva M. Ferreira said...

Que tristeza corroía o poeta!

12:05 da manhã  
Blogger Luisa said...

Sempre tristes os teus românticos sonetos! Mas belos!

6:35 da tarde  
Blogger Maria João said...

A Alma assim, às vezes geme, porque às vezes grande é a dor do poeta...

Um beijinho

10:22 da manhã  
Blogger ESPEJO DE MI ALMA said...

lindo y romantico un besito y saludos fraternales ..nancy fabiola

3:43 da tarde  
Blogger Sonho & Sedução said...

Triste... porém emocionante...
Combinou com o q estou passando...Ultimamente ando num mar de tristezas...

Beijinhos

1:14 da manhã  
Anonymous Ofeliazinha said...

Amigo
o meu blogue está num novo endereço, faz uma visitinha.
Beijos.

5:00 da manhã  
Blogger Carla said...

e quando morrem as ilusões morre sempre um pouco de nós

dizer-te também do meu livro...In-finitos sentires que vão ser desenhados em papel. O lançamento é no próximo dia 27 de Junho, às 16 horas na Biblioteca de Valongo (Porto)...aparece se puderes
beijo

8:07 da manhã  
Blogger poeta_silente said...

Existem momentos de deserto em nossas vidas... onde as ilusões parecem mortas. Mas, logo ali, encontramos um oásis.
A vida é assim.
Nada é para sempre...
Breve as ilusões do poeta devem ter se renovado. Ficou, apenas, uma poesia de marca do tempo passado.
Deus te abençoe.
Abraços
Miriam

4:18 da manhã  
Blogger Pico minha ilha said...

Espero que não tenha morrido todas as ilusões.Fique bem.Abraço

7:49 da tarde  
Blogger mariabesuga said...

Afastado o tempo preciso para o renascimento, acontece o regresso.

Aqui, sempre a poesia que vim espreitar de vez em quando e a que volto agora...

um abraço

7:49 da tarde  
Blogger Felipe Fanuel said...

Não é que de vez em quando eu vou ao funeral de uma de minhas ilusões. O problema é que elas sempre ressuscitam. Sem mencionar o fato de que a epifania ilusória é uma constante ameaça.

Grande abraço.

4:15 da tarde  
Blogger marina said...

no deben apagarse ni las luces ni las ilusiones....


lindos versos...!


saludos!
y buena entrada de verano
:-)

1:43 da tarde  
Blogger Alice Matos said...

apenas dorme...
até despertar para nova ilusão...

1:49 da tarde  
Blogger Carla* said...

Obg pelo teu comentario =)
bonito poema

10:28 da tarde  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

3:34 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home