segunda-feira, maio 26, 2008

NAI


Non foi de morte, nai, que foi de vida
o teu pasar aló, á outra beira,
porque o teu existir foi sementeira
de bicos e alegría. Estás vertida

no noso sangue, e vés en ametida
como a auga lizgaira e cantareira
coa dozura da ollada derradeira
a darnos outro bico na ferida.

Que fermosa eras, nai, e que serena!
Que inmenso é o herdo que nos deixas!
Mais perdóanos, nai, a nosa pena,

desculpa, que aínda así teñamos queixas
de que a existencia sexa tan pequena
e queiramos soñar que aínda nos beixas.
 

  
Marica Campo

32 Comments:

Blogger Cláudia Pinho said...

às vezes também nao consigo acreditar que algumas pessoas partiram e que já nao voltam mais.

boa semana

8:09 da tarde  
Blogger ** MARÍA ** said...

Paso a leerte con la esperanza de poderlo hacer entendiendo todo lo que escribes, que no dudo que es tremendamente bello.

Te mando besos tiernos y dulces para ti.


** MARÍA **

10:12 da tarde  
Blogger Adriana Lara said...

oooooooooooohhhh, no entiendooooo

10:41 da tarde  
Blogger mundo azul said...

Um belo soneto! Tema triste...
Beijos e muita luz!!!

11:23 da tarde  
Blogger muxica said...

No fue de muerte, madre, que fue vida.
Tu pena allá a otra esquina
Porque existir fue sementar
besos y alegría.
Estas vertida en nuestra sangre
Te vas como agua ligera y cantarina
Con la dulzura en la mirada
a darnos otro beso en la herida .
Que hermosa eres Madre, que serena!
Que inmensa es la herencia que nos dejas!
Más perdónanos Madre nuestra pena.
Disculpa que aun así ténganos quejas.
De que la existencia sea tan pequeña.
Que queramos soñar que aun nos besas.

(Traducción a mi manera)
Es imposible decir lo mismo en la poesía al cambiar el idioma. Lo he intentado y le doy la gracias a “De propósito “Por dar valor a los sentimientos de mi familia al perder a nuestra madre.
Mil biquiños.

2:48 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Meu amigo este não vou comentar como é meu costume...tão pobre seria a minha poesia, ao expressar os meus sentimentos sobre tão belo poema (e tema!)...Nai, já por si só é uma palavra que acho de uma beleza sem par! O soneto está lindíssimo!
Deixo apenas beijos...sabes que estes meus dias vão ser agitados...contudo espero confiante!!!

Obrigada pelo momento lindo, Manuel!
E obrigada pelas tuas palavras... sempre!

3:39 da tarde  
Blogger Bruxinhachellot said...

Uma poesia diferente, inovadora, meio confusa quando a primeira vista, mas excelente quando se entende a mensagem.

Beijos peregrinos.

8:54 da tarde  
Blogger Martinha said...

Um poema bonito.
Nai partiu deixou com certeza saudades, está expresso no texto. Mas a saudade não traz o esquecimento, e o melhor dessa pessoa há-de ser recordado. :)
Beijo *

10:03 da tarde  
Blogger BETTINA PERRONI said...

Marica Campo canta a través de sus palavras caro Manuel.

Adoro venir aqui y refugiarme en tus poemas que me hacen comprender que el idioma no es una barrera :)

Te abrazo

12:22 da manhã  
Blogger conny said...

Pase a saludarte y agradecerte tu visita y comentario, saludos!!

3:09 da manhã  
Blogger pin gente said...

triste... mas fica o sonho.

beijo

2:48 da tarde  
Blogger Dalaila said...

é dificil sentir as pessoas a partirem e a sentirmos que o coração ainda as tem.

3:59 da tarde  
Blogger Menina do Rio said...

Manu, eu fiquei meio perdida. Entendi o soneto mas não sei que dialeto é este... mas sei que fala de morte e da dor deixada poe ela...

Um beijo

8:41 da tarde  
Blogger Steki said...

Muito bonito, tu poema, Marica.
Beijinhos, STEKI.

9:47 da tarde  
Blogger KÁTIA CORRÊA DE CARLI said...

Você me deixou curiosa quanto ao idioma, pois não é o português de Portugal, tampouco e espanhol, pareceu-me galego...
Mata minha curiosidade.
Mas deu para compreender, e é lindo.
beijo

11:28 da tarde  
Blogger tulipa said...

Sabe bem
quando ficamos assim tranquilamente,
sem esperar nada,
apenas ali
para o que acontecer...


Bela escolha.
Um abraço.

1:55 da manhã  
Blogger Loba said...

Bela seleção encontrei aqui, moço! Embora eu não seja poeta, não desisto de um dia poetar. E nada melhor que ler o que há de bom na poesia né?
Um beijo!

2:55 da manhã  
Blogger Carla said...

sonhos em forma de beijos...que lindo mesmo com a marca da tristeza aí presente
deixo outros beijos

1:09 da tarde  
Blogger Adriana Lara said...

gracias, amigo, por tus palabras y por tu atenta traducción.

8:38 da tarde  
Blogger Renata Maria Parreira Cordeiro said...

Lindo! Então, de propósito, vc vai ao meu blog.
Postei sobre o filme Across the Universe.
Vá lá:
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Um beijo,
RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO

10:30 da tarde  
Blogger kukilin said...

Hermoso homenaje al ser mas dulce que hay sobre la tierra: La madre.
Muchos besitos Manolito♥

6:01 da manhã  
Blogger Auíri Au said...

Que maravilha de palavras,
ótimo começar a manhã com tanta inspiração...beijos


^^

12:59 da tarde  
Blogger BETTINA PERRONI said...

Bonito fin de semana Manuel :)

5:57 da tarde  
Blogger Lyra said...

Espaços que se cruzam,
palavras que se encaixam,
sorrisos imaginários que se entrelaçam,
confidências que se armazenam.
Assim nascem as amizades virtuais...

Adoro ler tudo o que escreves!

Beijinhos e até breve.

;O)

6:11 da tarde  
Blogger Pérola said...

Somos pequenos e queremos ser grandes, sonhamos sempre com mais e mais. Morremos feliz e vitoriosos. Ou não.

7:04 da tarde  
Blogger AGUALUNA said...

Gracias De- Propòsito por dejarme tan bellas palabras en mi blog.

Cariños desde Chile

Agualuna

11:48 da tarde  
Blogger Ana R said...

Que hermoso tributo filial es este poema.Que sublime.

Un abrazo

7:05 da tarde  
Blogger Renata Maria Parreira Cordeiro said...

Linda poesia! DE-PROPÓSITO, me visite, tenho saudades. Vá ao meu blog, há novidades.
wwwrenatacordeiro.blogspot.com/
não há ponto depois de www
Um beijo,
Renata

4:34 da tarde  
Blogger M@ri@ said...

Meu doce amigo
Sempre tão belas escolhas!
Uma perda deixa sempre tristeza.
Deixo te um beijo doce.
M@ri@

9:51 da tarde  
Blogger Não tente me entender... said...

Obrigada pela visita e pela força!
Estou buscando inspiração por mares nunca dantes navegados...
Aqui vou colocar minha âncora!
Bjs

9:58 da tarde  
Blogger Freyja said...

querido amigo
siempre tienes bella poesia
vengo a darte las gracias por estar cerca de mi todo este tiempo
por cada regalo que recibo de ti
mil disculpas si no he venido antes, pero he estado alejada de la net, por estar enferma
hoy me he dado animo y fuerza, para saludar a los amigos que me han apoyado todo este tiempo
un abrazo muy grande y que estes muy bien, muchos cariños y gracias
besitos

besos y sueños

11:41 da tarde  
Blogger KÁTIA CORRÊA DE CARLI said...

Manuel
Voltei e resolvi ler o poema em voz alta!
É mais lindo ainda... pois consegue misturar português, espanhol, sotaque brasileiro, neste galego tão musical...
Fico aguardando novos poemas. Abraços e bom dia desde cá, de além mar,

12:59 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home