sexta-feira, abril 11, 2008

RECUERDO

RECUERDO

N'uma pequena caixa invernisada
Conservo com amor o meu thesoiro
Recordação d'uma mulher amada
E dos meus sonhos d'oiro.

Para muitos __ talvez! __ não valha nada
O meu thesoiro __ joia preciosas __;
Recordação d'uma mulher amada,
D'uma mulher formosa __.

E uma carta pequena e perfumada,
Escripta n'um estylo mui fagueiro;
Recordação d'uma mulher amada,
Do meu amor primeiro!....

Lisboa 1890
Delfim de Brito

19 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Para responder ao Delfim de Brito :)...(um recuerdo mui lindo o dele)envio a minha resposta:

A gaveta

Numa gaveta já gasta de servir
Conservo eu mil sonhos de amor
Recordações de quimeras a sorrir
Agora o alimento na minha dor.

Para os outros não, não vale nada
Esta gaveta de papel enfeitada
E as loucuras da alma sentida
Menina que fui, e serei escondida.

São todas, todas minhas as flores
que guardo na gaveta perfumada
onde guardo promessas de amores

Postais, cartas, desejos, ensejos
a loucura, dos inocentes beijos
a gaveta...delírios de várias cores

E um beijito de bom fim de semana para ti Manuel!

5:48 da tarde  
Blogger Martinha said...

O primeiro amor é sempre o que marca mais! ;)

Beijinho *
Bom fim-de-semana!

12:42 da tarde  
Blogger fgiucich said...

Un tesoro imperdible. Hermosos versos. Abrazos.

4:27 da tarde  
Blogger poeta_silente said...

O que, meu querido amigo Manuel, nos faría esquecer um grande amor? Dores? Outros amores?
Não! Um grande amor fica gravado em nossa alma, como uma das experiências mais importantes e significativas que nos levam à maturidade e ao crescimento.
Podemos esquecer amigos que passaram por um tempo. Mas não esquecemos amores que marcaram instantes.
Os amores, querido, são o perfume de cada época, de cada estação. E um... apenas um deles... dura para sempre, com suave aroma de eternidade.
Beijos saudosos.
Como estás?
Deus te abençoe.
Miriam

7:08 da tarde  
Anonymous Jofre Alves said...

Um poema de grande sensibilidade e qualidade poética. Sempre um gosto intenso visitar esta página. Boa semana.

10:09 da tarde  
Blogger Sandra Daniela said...

Um grande amor fica para sempre... gravado na memória, e no coração!

Beijo
bom fim de semana

11:49 da tarde  
Blogger Menina do Rio said...

Que recordação...

Quem não tem a sua caixinha de recuerdos... O que mais me encantou além da sonoridade do poema, foi a forma escrita. A velha grafia, ou se dizia graphia...

Um beijo Manu

10:30 da tarde  
Blogger Moura ao Luar said...

Se é importante para nós, o resto do mundo não interessa. Um beijo

10:46 da tarde  
Blogger NunoSioux said...

Não foi facil ler à primeira! Mas gostei!! Abraço

1:16 da manhã  
Blogger Nilza said...

Que bela sua escolha!

Meu propósito aqui é agradecer seu carinho

Beijos

1:52 da tarde  
Blogger katina said...

Querido Manuel:

Recordações que atesoramos e guardamos numa cajita especial ou as doces cartas e amor nessa pasta especial .
Recordam-nos que alguma vez amamos intensamente , para valer , sem medos ,sem anàlisis , como o primeiro amor .bendita forma de sentir.
Precioso poema , como todos os que escolhes .
Um forte abraço e beijinhos para ì.

3:09 da tarde  
Blogger Janete Andrade said...

numa caixa pequena também guardo recordações que só eu sei o signoficado que elas têm! ô.Ô

=*

4:57 da tarde  
Blogger Mari said...

Olá!!!!

Obrigada pelas palavras....estou com tantos amigos de blog de Portugal, que acho que vou me mudar di Rio, rs!
Adoro chocolate....estava com muita vontade de comer e não tinha!
Vejo que adora poesias....eu também, aliás, vejo que os portugueses amam poesias...muito lindo!
Que linda esta poesia, é de 1890!!! Não conhecia nada dele...tenho que pesquisar.
Penso que podemos amar muitas vezes na vida, vários tipos de amor, até que o certo chegue, até dado momento ou seja eterno mesmo! Se bem que o Padre Vieira falou uma coisa: "que o tempo faz desgastar colunas de mármore..quanto mais os corações de cera". Será?!
Penso que o amor traduz tudo nesta vida!
Fiz uma canção sobre o amor...vou postar aqui para você, se acaso não leu....

Um canto ao Amor!!!
Deus,

Hoje é dia de cantar, sim, um canto à liberdade, de abrir os braços à vida, celebrar cada dia, cada momento, cada segundo.

Que bom e que bom poder sonhar, poder sentir-se livre, acreditar no presente de todo dia....ser você!!!
Esses dias que se passaram, me tornei um pouco melhor, recebi presentes, coisas jamais imagináveis,conheci pessoas que são tão belas, gentis....a razão natural dessas coisas traduz o amor.

Que bom ser amada de qualquer modo: um abraço forte, um telefonema, um conselho, um escutar, o olhar nos olhos, qualquer forma de amor amigo....amigos distantes...e que te mimam.. lindo não? VIVA O AMOR!!!!

O amor transforma!!!
Quão bom é poder saber que amanhã acordarei mais uma vez, respirarei o ar, regarrei minha vida com muito amor, porque é minha vida e, assim, exalarei amor, regarei minhas plantas visíveis e invisíveis, sonharei acordada, ouvirei músicas lindas. Tudo isso tem sentido e traz sentido, é mágico e divino mesmo... por isso, muito grata!!!

Meu Deus, como é bom viver, como é bom!!!! Dá mais amor ao mundo....amor às mulheres, aos homens, crianças, animais, plantas....a todos seres viventes!!!

Não falo de somente um tipo de amor, por muitos conhecidos, mas sim àquele amor, que transcende qualquer entendimento humano, que te faz seguir em frente numa nova direção, que é tão puro e simples.

Olhai por pessoas que não têm essa oportunidade sagrada de sentir esse sentimento ou que nunca tiveram uma forma de amor em vida, ou que deixaram o amor passar, sem regar. O amor alimenta a alma, mesmo que seja expressado por um abraço amigo, isso não tem valor!!!!!

De fato, é preciso amar, ter coragem para expressar um sorriso, fazer uma bondade.
Quando podemos ser nós mesmos, o amor vem, porque nós emitimos, temos necessidade dele, ele brota com tanta força, que explode em várias direções.

Hoje vi a lua ao lado de um amigo e disse: " nossa", abri meus braços ao infinito e apenas sonhei.
Muito obrigada pela possibilidade secreta de sonhar, é o alimento da minha alma!!!

Muito grata por amar sempre e ser amada de tantas formas, mesmo que esse amor seja apenas um bem querer ou uma palavra carinhosa, uma poesia que recebe de um amigo distante e presente, são tantas as formas de amor.

Grata também por essas pessoas que de certo modo me fizeram escrever esse pequeno canto. Com muito e muito amor, mari!!!
Grata!!!

Beijos, mari

3:49 da tarde  
Blogger Mari said...

E um soneto lindo:

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

Bjs, mari

3:52 da tarde  
Blogger Abril Lech said...

No hay como el primer amor!!!! Yo conservo todo, de cada uno de mis amados...

5:20 da tarde  
Blogger Nathália said...

Um grande e primeiro amor é eterno. Nem tem como fugir disso. Rs

Beijo!

6:04 da tarde  
Anonymous http://comecardenovo2008.blogspot.com/ said...

recordações são recordações...
boa semana

8:51 da tarde  
Blogger Encontro de Olhares said...

Ainda há homens assim? Que bom saber! Adorei o poema!

Beijinho***
Manuela Fonseca

4:41 da tarde  
Blogger Jonas Prochownik said...

Belos sonetos. Muito obrigado por me visitar, Jonas.

12:12 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home