sábado, setembro 09, 2006

LEGENDA DOS DIAS

O Homem desperta e sai cada alvorada
Para o acaso das cousas... e, à saída,
Leva uma crença vaga, indefinida,
De achar o Ideal nalguma encruzilhada...

As horas morrem sobre as as horas... Nada !
E ao Poente, o Homem, com a sombra recolhida,
Volta, pensando: «Se o Ideal da Vida
Não veio hoje, virá na outra jornada...»

Ontem, hoje, amanhã, depois e, assim,
Mais ele avança, mais distante é o fim,
Mais se afasta o horizonte pela esfera ;

E a Vida passa... efémera e vazia :
Um adiamento eterno que se espera,
Numa eterna esperança que se adia.


Raul de Leoni
N. 30-10-1895 / F. 21-11-1926

49 Comments:

Anonymous {{coral}} said...

Bom poema, belo poeta.
Voltarei a visitar esta página. Gostei do que li.

{{coral}}

7:07 da tarde  
Blogger dreams said...

um belo soneto,
pena que triste, por deixar escapar a vida sem vivê-la...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

12:40 da manhã  
Anonymous sonho fiel said...

Gostei imenso!:)

12:57 da manhã  
Blogger Deusa Misteriosa said...

Olá meu amigo
desculpa nao tenho vindo aqui
mas o meu tempo tem sido tao pouco,
nem para postar tenho tempo.
mas hoje vim numa corrida te desejar um bom fim de semana,e te deixar o meu
:))))))))))
beijoooooooo

1:37 da manhã  
Blogger Claudia said...

lindissimo.
vivemos naquela esperança, se hj n correu bem amanha ha de correr. mas um dia qd acordamos mais mal dispostos pensamos, nada me corre como queria, aí desmoralizamos, o q vale é q mna maioria dos casos, passa rapido, mo outro dia voltamos a acreditar que tudo é possivel.
existe novamente a esperança;)
quando esta morre é tramado.
beijito

3:08 da manhã  
Blogger alfazema said...

Não conheço o poeta, ignorância minha, mas o poema é lindo!
Um beijinho e um bom domingo.

9:30 da manhã  
Blogger Eu said...

Adorei o poema... Um lindo soneto que eu não conhecia...
Eu continuo a procurar o meu "Ideal nalguma encruzilhada" Espero que tenhas um domingo em cheio...
bjos

10:59 da manhã  
Blogger veritas said...

Olá!

Há muito tempo atrás, também eu pensei que o ideal existia...assim imaculado...alcançável...mas vamos a ver, o que é afinal um ideal? Isso não existe como se crê...o ideal é uma constituição de todos os dias, uma construção, está em tudo o que nos dá prazer, que nos faz esboçar sentidos sorrisos, carinho, que nos permite regressar às origens, à pureza, beleza...verdade...meus princípios de vida, está naquilo em que acreditamos e de que não abdicamos!

Bjs.

1:04 da tarde  
Blogger confusa said...

Arrepende-te do que não fazes!
Beijo

2:15 da tarde  
Blogger Poemas e Cotidiano said...

"Numa eterna esperanca que se adia".....
Precisa dizer mais alguma coisa?
Bjs
MARY

2:58 da tarde  
Blogger Luna said...

Um poema triste sobre o vazio da vida, mas há que procurar sem pre novos caminhos
bom fim de semana
beijos

3:38 da tarde  
Blogger amigona said...

"E a Vida passa..." Hoje, de propósito passei por aqui...beijo...

8:59 da tarde  
Blogger Sara MM said...

.... e quem diz que o ideal é bom?!?!?

:oP

1000Kg de Bjss

11:18 da tarde  
Blogger fgiucich said...

La vida pasa efímera y vacía cuando falta un ideal. Muy buen poema. Abrazos.

12:08 da manhã  
Blogger Dafne said...

Olá
Meu caro aprecio imenso as suas escolhas poéticas. Não conhecia este poeta, mas graças a si passei a conhece-lo. Muito bonito.
Um beijo amigo,
Dafne

11:56 da manhã  
Anonymous woman's secret said...

o passar do tempo, no compasso lento das horas...

Uma nova semana tomou o seu lugar, o tempo esse corre sem parar...
Bjx e boa semana

12:08 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Olá, achei o seu blog no aroma e sabores... muito legal ele... bjos


http://avassaladoraportudo.zip.net/

12:58 da tarde  
Blogger Lagoa_Azul said...

"E a Vida passa... efémera e vazia :
Um adiamento eterno que se espera,
Numa eterna esperança que se adia."

E a vida acontece...intensa e preenchida...
Uma presença constante que se sonha,
Numa fé deveras sentida...

Um ensaio, da outra face da vida

Deixo-te beijos carinhosos

2:51 da tarde  
Blogger Catarina Pati said...

Adiar os sonhos, os projectos eternamente, uma atitude bem tipica de alguns, que mais tarde choram sobre o leite derramado.

Um abraço;

2:52 da tarde  
Blogger Sandra Becerril said...

Así pasa la vida de rápido... sólo dos días


besos

3:37 da tarde  
Blogger AZUL said...

La vida pasa y nosotros con ella...viviendo como mejor sabemos hacerlo!

Mil beijinos :D

4:48 da tarde  
Anonymous pequenita (quando o teu corpo e o meu) said...

Entrego-me aos teus sabores.
Colo-me aos teus contornos.
Sou percorrida por um calor de inferno
que me consome até o pensamento.
Mas…
Deixo-me guiar e fecho os olhos
quando sinto,
o toque da carne a penetrar a carne.

Kissssse
Pequenita

5:17 da tarde  
Anonymous lumi said...

merci Manuel

7:21 da tarde  
Blogger .*.Magia.*. said...

A lenda dos dias, adiada a cada dia que passa!!!

Beijinho encantado de...Magia!

9:40 da tarde  
Blogger Cristiano Contreiras said...

a vida clama por nós, caminha entre rumos da incerteza.
abraços

10:48 da tarde  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Não conhecia este poeta, o poema é triste mas nuito bonito.obrigada pela escolha.

10:49 da tarde  
Blogger _+*A Elite in Paris*+_ said...

Ficou lindo... que pena que a vida é efemera... mas na volta o outro lado nao é assim tao mau!

11:18 da tarde  
Blogger Bettina Perroni said...

Si, estaba ahí a la orilla del mar escuchando el tic-tac del reloj, sin poder detenerlo...

No pensaré en el final, llenaré mis días de locura infinita para acabar feliz.

Besos a Manuel

11:21 da tarde  
Blogger Vanda Baltazar said...

Se os ideais ao longo do tempo secular nunca abandonaram os "homens", porque é que estes, ao fim de tão pouco tempo de vida, acabam por abandonar os seus mais intimos e belos ideais?


Mas a espernaça resiste.

Sempre :)

Um beijinho de boa noite,

Van

11:44 da tarde  
Blogger Vanda Baltazar said...

Esperança, pois claro!!

:))

11:45 da tarde  
Blogger almaenamorada said...

vengo a dejarte las gtracias por tu linda visita a mi corazon valiente..!

Linda semanaaaa!
saluditos!
=)

3:11 da manhã  
Blogger Dalva said...

Quanta gente bonita por aqui!!!! não é sem motivo: você tem olho clínico para encontrar boa poesia.

Olha, papai era motorista de táxi e mamãe costureira. Éramos frutos de uma outra era, onde ainda não existia o plástico nem a miséria tão feia que existe hoje em dia... porisso a boneca de louça!

Beijo enorme.

9:52 da manhã  
Blogger BB (O.ö) said...

Tu es uma inspiração...
Um grande beijinho****

3:23 da tarde  
Blogger Martuxa said...

A vida é como uma cebola, descasca-se chorando

5:37 da tarde  
Blogger cat said...

concordo com a martuxa mas nem tudo se chora, tambem se ri!beijiho!

9:20 da tarde  
Anonymous temp_nua said...

Viver a vida intensamente, viver o agora sempre.
beijo aromatico pra vc querido

10:01 da tarde  
Blogger Eu_F said...

Obrigada pela visita :)
Irei voltar

11:07 da tarde  
Blogger Saramar said...

Lindo soneto.

2:30 da manhã  
Blogger Carla Silva said...

E a vida passa a correr...
Beijinhos.

8:59 da manhã  
Blogger Pete said...

O Ideal da vida é o que nós esperámos dela e fazemos por ela e nela.

Um Abraço e bom fim-de-semana.

10:57 da manhã  
Blogger veritas said...

Olá!

Acabei de linkar o teu blog, gosto da tua selecção de poesia.

Bjs.

12:42 da tarde  
Blogger tonsdeazul said...

É assim que é muitas das vezes representada a nossa vida!! Vamos "vivendo" sempre insatisfeitos e na esperança que o tal "ideal" um dia chegará. Esquecemo-nos que os dias não são para deixar passá-los em branco, para ficarem vazios, mas sim para disfrutar de cada minuto, de cada hora, de cada momento...
Um abraço

2:04 da tarde  
Blogger goticula said...

O meu coração canta ao ler uma bela poesia.
obrigada

Beijinhos

2:49 da tarde  
Blogger luna said...

A eterna esperança, do fim que não chega!!
Os dias não precariam de legendas porque são como lendas lidos de formas redundantes.

Beijo Lunar

4:39 da tarde  
Blogger Musician said...

"Numa eterna esperança que se adia."
Vivemos assim!!
Gostei deste poema.

Um beijo*

5:07 da tarde  
Blogger Clitie said...

A tua selecção de textos continua maravilhos, meu amigo.

Beijinhos

10:35 da tarde  
Anonymous woman's secret said...

Espelha muito bem a realidade...

Deixo um beijo à minha passagem por aki.

9:59 da manhã  
Blogger Heloisa B.P said...

"As horas morrem sobre as as horas... Nada !"
**************************VERSO, PERFEITAMENTE ADAPTADO AO DIA NOVE(DE SETEMBRO)_O MEU DIA NOVE_!!!!!

LINDISSIMO TODO O POEMA! e... nao o conhecia!
_OBRIGADA!

Heloisa.
**********

2:33 da tarde  
Blogger Heloisa B.P said...

Antes de sair, voltei ao SONETO e fui rele-LO!
GOSTO DEMAIS, DELE*!!!!!

Faco destaque destes dois tercetos finais:

"Ontem, hoje, amanhã, depois e, assim,
Mais ele avança, mais distante é o fim,
Mais se afasta o horizonte pela esfera ;

E a Vida passa... efémera e vazia :
Um adiamento eterno que se espera,
Numa eterna esperança que se adia."

********************************
A POESIA E' INTEMPORAL E...OS *POETAS*, ou..."Leitores e Amantes" de POESIA, aprendem TODOS pela mesma cartilha, afinam TODOS pelo mesmo "Diapasao", mesmo, quando usam diferentes "instrumentos"!!!!!!!
MAIS UMA VEZ, OBRIGADA, PELO *PRAZER DESTA LEITURA*!!!!!!!

Heloisa.
**********

2:38 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home