sexta-feira, junho 01, 2018

TRÊS CANÇÕES

I
Eu sou dum poente calmo
Aquela nuvem mais triste,
Se te perguntam por mim
Tu nem dizes que me viste.

Sempre de face voltada
Para o sol quando desponta
Vais vivendo em alvorada
E de mim nem dando conta.
Se te perguntam por mim
Respondes que nem me viste.
Eu sou dum poente calmo
Aquela nuvem mais triste...

II
Desfolhas um malmequer
E dás fé no que te diz
Nem te lembrando sequer
Das juras que eu te fiz.

Queria que tu soubesses
Desfolhar o meu desejo
E que em troca tu me desses
Por cada pétala um beijo...
Mas não há descrer maior
Que o descrer duma mulher:
_Perguntas pelo meu amor
À morte dum malmequer...

III
No dia do meu enterro
Não te ponhas a chorar
Pensa que fui eu primeiro
Para depois te chamar

Quando eu partir de mãos postas
Para ir a enterrar
Se é de mim que tu gostas
Não te ponhas a chorar
Porque eu parto e vou primeiro
Para procurar nos ceus
Nosso lugar verdadeiro:
_À mão direita de Deus.

Álvaro Leitão

1 Comments:

Blogger Graça Pires said...

É sempre um agrado vir aqui ler autores que desconheço.
Uma boa semana.
Um beijo.

12:50 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home