sexta-feira, abril 13, 2018

FONTE DOS AMORES

Ó água triste, não chores,
Vai devagar, devagar...
Que ela não cuide que choras
Porque me viste chorar !
       Ai não soluces tão alto
       Ó fonte do seu caminho !
       Ágoa chorosa e romântica ,
       Fala mais devagarinho...
Não digas nessa toada
Melancolias às flores :
Ó fonte vai sossegada,
Nunca lhes fales d'amores.
       Não contes o que me ouviste,
       O que te estive a dizer...
       Sê contente, água romântica,
       Que ela o não venha a saber !
Olha as minhas mãos ardentes,
Refresca-as, fonte amorosa !
Olha os meus olhos vermelhos...
É de rir, água chorosa !
       Ó água triste, cautela ,
       Vai devagar, devagar...
       Que ela não pense que choras
       Porque me viste chorar !
     
                      Júlio Brandão

 

1 Comments:

Blogger Graça Pires said...

Um poema de Júlio Brandão, perfeito para cantar...
Uma boa semana.
Um beijo.

12:48 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home