domingo, março 23, 2014

SONETO

Quem no mundo não tem uma ilusão,
Quem a terra não sente estremecer,
E nas fragas bater um coração,
Quem nas fontes só água vê correr,
    
Terá uma vida calma, sem acção,
Qual onda sem desejo de crescer;
Qual estrela sòmente escuridão,
Que nenhuns olhos tristes podem ver.
    
Eu quero as tempestades do oceano,
Sentir, no peito, o fogo lusitano;
A dor da vida, em mim, quero sentir!
    
Quero a branda tristeza na alegria,
No sol nascente a definhar do dia,
Na sombra escura, a luz que há-de surgir!
 
        Maria de Carvalho

3 Comments:

Blogger Baila sem peso said...

Um soneto de querer
Com a emoção do coração
Sempre a bater
Sendo realidade ou não...
Fogo e chama mesmo em tristeza
Lavando as mágoas, em pura combustão
:)

Boa semanita Manuel
Beijos

11:24 da manhã  
Blogger Graça Pires said...

Maria de Carvalho escreveu um excelente e sentido soneto. Obrigada pela partilha.

2:24 da tarde  
Blogger marie-jeanne84 said...

Bonjour et merci pour ta visite. mais je ne comprend pas bien le Portugais. Si tu met un traducteur/ translate ce serait mieux pour moi pour venir te lire. Bonne journée.

3:10 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home