segunda-feira, fevereiro 10, 2014

SENTENÇAS

Ai de quem ria e não tente
Sair da sua alegria !
É destino da serpente,
Do verme que anda contente
Sem procurar ver o dia.
    
Dura a vida enquanto dura
O bater do coração.
Semeia, moço a ventura
Que essa mesma, com fartura
Colherás com tua mão.
    
Semear _ verbo que encerra
O dever de toda a gente !
Há sempre um canto de terra
Quer no vale, quer na serra
Adonde caiba a semente...
    
Ouve o Amor _ o que ele diz
_ Seja a tua companheira
A abençoada raiz
Do teu lar que é o teu país:
_ Faz do Amor tua fronteira !
    
Planta mais, se já plantaste,
Desde novo até velhinho;
Quando nasceste encontraste
Tanta fruta em tanta haste,
Tanta sombra em teu caminho !
    
Cala a voz do sentimento
Quando não for de bonança,
Palavras leva-as o vento,
Mas volta a todo o momento
Seu eco à nossa lembrança.
    
Toda a ventura é singela
Navega no mar do Mundo !
Navega !  Olha o barco à vela
A deslizar na água bela...
E o mar alto não tem fundo !
    
És como a barca esquecida :
Ditoso, porque não sondas.
Se é profundo o mar da vida
E a altura desconhecida
Que anda por baixo das ondas !
    
   Pedro Homem de Melo
          1904 - 1964

3 Comments:

Blogger ⊰✿⊱France ⊰✿⊱ said...

Je viens te dire bonjour
j'étais dehors en train de regarder les oiseaux
il fait beau donc oui l'en profite
bise

1:50 da tarde  
Anonymous Mamé 09 said...

Bonjour Manuel !
Encore un beau poème .
Merci pour tes visites.
Amicalement Mamé

4:47 da tarde  
Blogger © Piedade Araújo Sol said...

bem ao estilo do Pedro Homem de Melo...

:)

10:09 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home