segunda-feira, novembro 25, 2013

DOIS POEMAS

Porquê palpar-te         Se te dissesse, como agora
o seio, tão brando       digo, que de amor
e vejo dar-te            me tomo __ hora
o nome, tão branco,      tão constante e, por
     
dar-te a cor             teu zelo, renovada
que nele engenho?        em meu querer __
Basta supor              e te visse furtada
que o tenho,             __ como é mister __
     
e já o perco.            maior defesa
Que o desengano          é redobrado amor.
de sabê-lo perto         E não acho despesa
é quanto amo             nem louvor
      
em teu seio,             em tanto amar.
tão seguro               Só nada poupa
e sem enleio             quem souber guardar
é meu namoro.            teu nome em tua boca.
     
     
                           GAETAN LAMPOO                

5 Comments:

Blogger Larissa Marques - LM@rq said...

retribuindo sua visita e o carinho de deixar um comentário, abraços.

1:04 da manhã  
Blogger ⊰✿⊱France ⊰✿⊱ said...

Je viens te souhaiter
une belle soirée

5:48 da tarde  
Blogger Kalinka said...

http://orientevsocidente.blogspot.pt/

Ai...os blogues
estão pelas ruas da amargura
neste seu post

apenas 2 comentários
...
Manuel
vim espreitar
e gostei
de mais um momento
de bela poesia!
Obrigado pela partilha
...
grata pelas visita
ao meu ORIENTE
...
acredite que o faço
sempre com o pensamento
em si e todos aqueles
que não poderão visitar
o Oriente,
para mostrar o que existe
noutros locais do Mundo.

infelizmente
sou e serei
sempre
incompreendida
porque a sensação que tenho
é que as pessoas
NÃO ESTÃO NEM AÍ...

borrifam-se para o que
existe no mundo
apenas vegetam
não sabem VIVER.

um beijo meu .

2:04 da tarde  
Blogger ⊰✿⊱France ⊰✿⊱ said...

Passe une belle soirée
j'espère que tu vas bien
BISE

7:52 da tarde  
Blogger ⊰✿⊱France ⊰✿⊱ said...

Je viens aussi te dire bonsoir et je ferme mon ordi
J'espère que tu as passé une belle journée
A bientôt

7:45 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home