quarta-feira, dezembro 09, 2009

DIÁLOGO

Quando lembro que aos fogos da Quimera
_Disse um dia à Mente o Coração_
Teu amor imolei, fria Razão,
Logo um vago terror me invade e altera;

Porque temo não vás, fada severa,
_Para afinal punir minha traição_
Ao ver-me naufragante da Ilusão
Do teu porto negar-me a paz austera

Mas a Razão, serena, respondeu:
«Descansa, Coração; se me traíste;
Já meu alto ditame te absolveu,

Pois li sempre _ através do que tentaste _
Na mentira de quanto possuíste
A verdade de quanto desejaste.»

Manuel da Silva Gaio

5 Comments:

Blogger Xana said...

Porque não temo... e o caminho é o presente enlaçado na razão!

Obrigada pela passagem em "notassoltas".

Fica bem!

9:46 da manhã  
Blogger Teresa Durães said...

Não será a mentira uma fuga à realidade, a negação do existente?

10:24 da tarde  
Blogger Baila sem peso said...

"Mas a Razão, serena, respondeu:"
caminha do meu lado sempre Coração
pois haverá dias em que tentaste...
outros haverá, de que desejaste...
se um dia não vier o Perdão
comigo, sempre terás absolvição!

Bom fim de semana
Beijinho do coração :)

4:35 da tarde  
Blogger Dri Viaro said...

oi, passei pra desejar boa semana e conhecer o blog
bjsss

aguardo sua visita :)

1:11 da tarde  
Blogger María de la Cruz Díaz said...

Querido Manuel muchas gracias por pasar por mi Blog, estás invitado para cuando quieras entrar en este y en los otros 3 que tengo.
Es para mí todo un honor recibirte.
Así como tu en DE PRÓSITO entrelazan varios poetas sus letras, en mi CASA DE PANDORAREAL también lo hacemos, si te animas a dejar allí tus poemas, dejame tu correo y te envío la invitación

http://casadepandora-maricruz.blogspot.com/

Un abrazo fraterno muy fuerte pleno de bendiciones.

Maricruz Díaz
Perú

8:22 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home