domingo, agosto 05, 2007

FORMOSO RIO LIS

Fermoso rio Lis, que entre arvoredos
Ides detendo as águas vagarosas,
Até que umas sobre outras, de invejosas.
Ficam cobrindo o vão destes penedos;

Verdes lapas, que ao pé de altos rochedos
Sois moradas das Ninfas mais fermosas,
Fontes, árvores, ervas, lírios, rosas,
Em quem esconde Amor tantos segredos;

Se vós, livres de humano sentimento,
Em quem não cabe escolha nem vontade,
Também às leis do Amor guardais respeito.

Como se há-de livrar meu pensamento
De render alma, vida e liberdade
Se conhece a razão de estar sujeito?


Rodrigues Lobo
1580-1623

34 Comments:

Blogger amor,liberdade e solidão said...

mas que bonito!!gostei muito...
bom fim de semana
bjs

9:10 da tarde  
Blogger MAYA said...

Con ayuda de un diccionario comprado para poder leer a Mixtu, hoy puedo leer este hermoso poema de Rodrigo Lobo, lleno de ninfas, lirios y hierba.

"Como se ha de liberar mi pensamiento
De sujetar alma, vida y libertad
Se conoce la razón de estar sujeto?

Esta ha sido mi traducción de uno del último verso del poema y en el me he quedado maravillada.

Iré con mi diccionario deambulando por todos tus post. Siempre los amigos blogers de habla portuguesa traen cosas realmente maravillosas.

Un abrazo,

Maya

10:49 da tarde  
Blogger Ana R said...

Maravilloso bucolismo poético...un arte.

Saludos cercanos desde Galiza.

11:54 da tarde  
Blogger AlegriadeQuerer said...

Hoy quiero regalarte mi Amistad Cuando tu alma extrañe a una amiga,
sin pensar me busques, y enseguida correré a tu lado
Hoy quiero obsequiarte lo más bello que puedas recibir
donde la ternura que aquí encuentres, la belleza que aquí nazca,
te dé la certeza de que nunca te faltara mi amistad.

Dios Siempre bendice nuestra amistad


Yudelka

2:10 da manhã  
Anonymous Paulo said...

Oi Manuel,
Como sempre seus posts são muito bonitos e me trazem uma refexão literaria em relação aos mais belos poemas.
Uma ótima semana,
Paulo

2:11 da manhã  
Blogger AlegriadeQuerer said...

Manuel espero estes muy bien solo queria desirte que te quiero mucho tu amiga yudelka

2:12 da manhã  
Blogger claudia said...

hola manuel, gracias por tus palabras
qué dulce idioma, que bella poesía, también yo me ayudo del diccionario, cuando no comprendo todo, así disfruto de los poemas
gracias por comunicarte
que estés muy bien
un abrazo

5:59 da manhã  
Blogger Musician said...

Verdade! E bonito poema!

Um beijo*

12:29 da tarde  
Blogger elsa nyny said...

deixei-te um abraço no meu cantinho!!

beijinhos!!

6:14 da tarde  
Blogger Kalinka said...

Toos os rios são FORMOSOS.

Começa hoje a verdadeira Odisseia, não de Homero, mas da Kalinka...estás curioso Manuel?
Então...
vem espreitar:

Uma dessas comodidades são as ruas subterrâneas, uma verdadeira cidade por baixo de _____, que permitem que a população transite sem precisar de casaco, botas, gorros e luvas. Ali, a temperatura é normal, talvez até um pouco quente demais. Na cidade subterrânea, as principais ruas do centro são interligadas por túneis, passagens para peões e escadas rolantes que ligam prédios comerciais, estações de metro, áreas de lazer, cinemas e hotéis, facilitando a vida dos peões. São mais de 30 km de extensão, onde as pessoas se encontram protegidas. Os turistas ficam fascinados com isso e, quando voltam da viagem, é só no que falam, como se em ______ não houvesse nada mais interessante que isso.

Bom domingo.

6:36 da tarde  
Blogger delusions said...

Muito bonito!

Bjs* boa semana

6:42 da tarde  
Anonymous Jofre Alves said...

É sempre um enorme prazer visitar este blogue de grande qualidade e de grande sensibilidade, que tanto me agrada, como este magnífico poema. Boa semana.

8:29 da tarde  
Blogger Entre linhas... said...

Muito bonito ,obrigado meu amigo
Bjs Zita

8:37 da tarde  
Anonymous isabella benicio said...

"Se vós, livres de humano sentimento,
Em quem não cabe escolha nem vontade,
Também às leis do Amor guardais respeito."

Que bom começar a semana com o lirismo desse poema que chega a fazer a gente enxergar a beleza do lugar descrito.

Boa semana pra ti, Manuel.
Um beijo.

10:15 da tarde  
Blogger HOMERO said...

Gracias a Maya he podido entender la última parte. Amigo mío gracias por enriquecer nuestra cultura. Un abrazo. H.

5:59 da manhã  
Anonymous Célia said...

Ola Manuel, tudo bem ?
Quem vai entender o Amor, não é facil, mas o Amor é livre, não cobra, e não sofre.
Amar é ser feliz sempre, nos colocamos espinhos sempre.
Beijos e uma otima semana.
Célia

12:39 da tarde  
Blogger Claudia Perotti said...

Bárbaro!
Beijinhossss

6:02 da tarde  
Blogger Olhos de mel said...

Pois é, como livrar o pensamento de tudo que acreditamos? Lindo!
Que sua semana seja maravilhosa! Fique com Deus!
Bjs

7:30 da tarde  
Blogger Professorinha said...

Ao ler o poema senti-me fresca... senti-me no meio da natureza a absorver todo o verde...

Fica bem

11:05 da tarde  
Blogger amigona avó e a neta princesa said...

Conheço...deixo SAUDADES...

11:29 da tarde  
Blogger Alice said...

Venho matar saudades, após algum tempo de ausência, por motivos de saúde... E encontrei um poema que me encheu a alma...
É assim... por vezes entendemos o sentido de se ficar preso a algo...
Beijinhos...

10:18 da manhã  
Blogger Bettina Perroni said...

Sensillamente hermoso...

Asi como el río que corre sin presión alguna... asi, como un paseo de mis ojos sobre tus lineas.

Un beso,

2:25 da tarde  
Anonymous Princesa said...

Meu amigo,

Eu só queria...só queria deixar-te aqui um poema sobre Fazendas de Almeirim...tão belo como esse que nos (me) ofereceste cantando o meu rio Lis!

Forte abraço e votos de Felicidades
Princesa

2:48 da tarde  
Blogger Francieli Rebelatto said...

Como um rio, cá nós permanecemos driblando os "arvoredos", os penhascos, a natureza, driblando a própria vida...Estamos sujeitos às nossa subjetividades, ao nosso doce, triste, penoso sentir!!!

Bela escolha...Beijos e cuide-se

2:54 da tarde  
Blogger Celeste said...

Manuel...

Nos aferramos a las cosas, a aquello maravilloso que vivimos y la vida, como el río va a pasando y se nos va llevando algunas, dejándonos atrás. Otras veces somos nosostros quien apartándonos de su rivera, abandonamos otras cosas.

Conozco una canción muy bonita, es un vals venezolano, cuya letra, seguramente te va a gustar... Se titula "Viajera del Río", en este momento no recuerdo el autor, te lo debo:

Paseando una vez
Por el malecón
Extasiado me quedé
Pues vi una flor perfumando el río.
Era angelical
Como el azahar
Y corría y corría.
Buscando el horizonte
se perdía.
La quise tomar,
La quise abrazar,
Quise amarla como a ti.
¡Ni que fuera un mago
Para contener
La fuerza del río!
Y se fue alejando,
Y se fue marchando,
Luego desapareció.
Pasaron los años
Y el arcano tiempo
La alejó de mí.
Por eso en mi mente
Cuando la recuerdo
Triste vuelvo al malecón
Para ver si el río
Cambia la corriente
Y vuelvo a ver mi flor.

Beso celeste...

4:41 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Veja se pode prestar auxílio ao autor do blog
http://pn-brevitas.blogspot.com
sobre a autora do poema que segue e que já postou, também, pelo menos duas vezes, no seu blog.



Ao telefone
Fala-me. Baixo. Inda mais baixo. Assim,
Num murmúrio suavíssimo de reza,
Numa voz de ternura e de tristeza
Como ao longe a do Mar... Fala-me assim!

Quero senti-la ecoar dentro de mim,
E dela, sempre, eternamente presa,
Sentir cativa a indócil natureza
Do seu poder magnético, sem fim...

Ah, como te amo, ó voz de sombra e lume,
Mais doce e mais violenta que o perfume
Que das corolas túrgidas se exala!

Falas-me. Coro! E o olhar cerrando, logo
Me cerca e abrasa e queima em vivo fogo
A corpórea visão da tua fala...


in Flama, de Margarida Suzel Corrêa d'Oliveira, com carta-prefácio de Aquilino Ribeiro, Portugália Editora, Lisboa, s/ data.

Nota:
agradeço toda a informação que me possa ser prestada sobre a autora

8:44 da tarde  
Blogger minds said...

Uau!!!

Passei para deixar um bj..

9:37 da tarde  
Blogger veritas said...

rio, verdura, amor,formusura... tópicos bem camonianos que é sempre bom ver ecoar na boca de sublimes poetas.

Bjs. Boa semana.

1:47 da tarde  
Blogger Kukilin said...

Manuel ¡Qué bello poema! Transmite la hermosura de la naturaleza, como agua clara del río.
Te estoy muy agradecida por la música y los paisajes que me envías en cada vídeo.
Un fuerte abrazo.

8:49 da tarde  
Anonymous Lully, Reflexiones al desnudo said...

Meu glance é incorporado a esse rio e a paisagem que cerca… entra com inspiração e estende à distância, intensifies a mim, fortifies a mim, harmonizes a mim. Eu saudo-lhe com as pétalas frescas da feira das flores que por este tempo é comemorada em Medellín, Colômbia. Recebe um hug affectionate!

3:14 da manhã  
Blogger pn said...

Caro Manuel:

Obrigado pela sua refª à Margarida Suzel. Também penso ser da família do António Corrêa d'Oliveira, talvez e até, oriunda de São Pedro do Sul. Além da sua poesia ser de muito valimento, o prefácio de Aquilino é uma verdadeira delícia. Em breve o publicarei no blogue ou na revista "Letras Aquilinianas".
Grato pela sua colaboração, paulo neto.

8:01 da manhã  
Blogger Vieira Calado said...

Este poema de Rodrigo Lobo lembra-me um outro do mesmo autor, creio que começa "Formoso Tejo meu...".
Será que você o conhece?
Quiz pô-lo já não sei onde (já foi há um tempo), mas não o encontrei. É um dos meus favoritos. Fez muito bem divulgá-lo.
Um abraço.

3:18 da tarde  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

4:01 da tarde  
Blogger 日月神教-向左使 said...

AV,無碼,a片免費看,自拍貼圖,伊莉,微風論壇,成人聊天室,成人電影,成人文學,成人貼圖區,成人網站,一葉情貼圖片區,色情漫畫,言情小說,情色論壇,臺灣情色網,色情影片,色情,成人影城,080視訊聊天室,a片,A漫,h漫,麗的色遊戲,同志色教館,AV女優,SEX,咆哮小老鼠,85cc免費影片,正妹牆,ut聊天室,豆豆聊天室,聊天室,情色小說,aio,成人,微風成人,做愛,成人貼圖,18成人,嘟嘟成人網,aio交友愛情館,情色文學,色情小說,色情網站,情色,A片下載,嘟嘟情人色網,成人影片,成人圖片,成人文章,成人小說,成人漫畫,視訊聊天室,性愛,性感影片,正妹,聊天室,
情色論壇

11:44 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home