terça-feira, março 13, 2007

A VOZ DAS COISAS


As Coisas têm uma voz tão misteriosa...
As Coisas têm uma voz tão delicada...
Contando a vida, alegre ou desditosa,
Em sua velha imagem recordada.

Voz de além mundo... vaga, silenciosa...
Da ausência eterna a confidente amada...
Pelos Mortos falando, carinhosa,
No carinho das almas escutada.

As Coisas têm a voz da mocidade,
Voz do Passado, voz da saudade,
Histórias e segredos a dizer...

Voz de magia... de prazer e dor...
_Baixinho, a conversar, na voz do Amor,
Com quem tem coração para as entender.

Maria Isabel da Camara Quental

43 Comments:

Blogger Da Casa da Mathilde said...

E tu és a voz dos poetas. Divulgas muito bem a poesia da nossa terra.
Beijinhos

10:02 da tarde  
Blogger Simone Oliveira Lima said...

a felicidade está aqui.
que belos poemas!
obrigada pela visita.
abraço,
Simone

10:43 da tarde  
Blogger Adam & Eva said...

hermosos poemas de amor

11:23 da tarde  
Blogger dulce said...

As Coisas têm voz e vida própria. As Coisas fazem sombra e deixam marca. As Coisas fazem parte de nós.
Beijos

2:07 da manhã  
Blogger alegriadequerer said...

hola Manuel> que gusto estar en tu blogs pase a leerte y dejarte un beso por nuestra amistad. tu amiag a yudelka

4:13 da manhã  
Blogger Carolina Queiroz said...

Obrigada pela visita.
Fique à vontade pra voltar sempre que quiser.
Add

11:52 da manhã  
Blogger Saramar said...

Tão lindo!
Esse final é primoroso.

beijos

12:21 da tarde  
Blogger MalucaResponsavel said...

Pena q qd crescemos n nos apercebamos disso... bj

12:22 da tarde  
Blogger Blueshell said...

Há momentos em que as palavras nada conseguem…
A imensidão de sentires é tamanha que tudo o resto parece não fazer sentido.
Beijos, BShell

12:59 da tarde  
Blogger Laura said...

Este comentário foi removido pelo autor.

2:28 da tarde  
Blogger Laura said...

Manu, bellísimo gracias por la invitación a esta cajita de sorpresas muy agradables.

2:29 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

A Voz das Coisas, meu amigo...
Segredos dos deuses!!...
Baixinho murmuram a sós, contigo...
Cantam hinos de Amor, por vezes...

Acho este soneto, misterioso e encantador...a Voz é quente, suave e de som acolhedor.

Um beijito Manuel

2:51 da tarde  
Blogger fgiucich said...

Las voces misteriosas que nos acompañan todos los dìas. Abrazos.

2:56 da tarde  
Blogger Candela said...

Me gustaría poder entender mejor tu idioma, pero suena tan hermoso, se lle tan hermoso.

Con cariño

5:54 da tarde  
Blogger Farinho said...

SDó temos que toamar atenção para a escutar-mos.

Beijocas

7:04 da tarde  
Blogger MARIA VALADAS said...

Mais um poema de uma qualidade impar...

A autora...é a primeira vez que li o nome dela!

Por isso, meu amigo....um bem hajas pela tua partilha!

Abraço amigo da

Maria

12:42 da manhã  
Blogger Paula Negrão said...

Mais uma boa escolha!

lindo poema.

beeijo

2:31 da manhã  
Blogger La interrogación said...

Manuel: tú sí que eres guapo. Como las poesías que nos regalas, como tus palabras.
Muchos besos

8:28 da manhã  
Blogger MARTA said...

Escutamos sempre uma voz - às vezes só a nossa...
E a voz diz tudo - dor, saudade, felicidade, paixão...
Boa escolha - gostei muito.
Até já.
Beijos e abraços
Marta

P.S.: Agora também me podes encontrar em: http/www.marcoseeu.blogspot.com

9:36 da manhã  
Anonymous Madalena said...

Lindissimo este poema.
Acrescentarei apenas que felizes aqueles que têm voz, que a podem usar para mudar ou amenizar um pouco as atrocidades que existem pelo mundo fora.
Bjs
Madalena

12:44 da tarde  
Blogger Angela said...

Nem sempre temos a capacidade de ouvir as vozes... pois há coisas que só o coração consegue ouvir e entender.

Obrigada por divulgares tantos poetas talentosos e dos quais temos pouco eco.

Um grande beijinho.

2:41 da tarde  
Anonymous elenadesantelmo said...

Olá
Mis saludos y felicitaciones desde Argentina.
Beijos

3:23 da tarde  
Blogger Catarina said...

Claro que as coisas tem voz, também as paredes, as pedras e tudo mais, é uma voz silênciosa, é verdade, mas contam coisas, coisas do passado e da gente que jà não existe:)

Um abraço;

3:44 da tarde  
Blogger Bettina Perroni said...

Querido Manuel..

Que hermoso poema has dedicado a este dia. La voy que no tiene límites y que puede ser tan fina y perturbadora como quiera...

Lo he anotado en mi libreta... Me ha gustado mucho amigo. Te mando un beso

4:43 da tarde  
Blogger Claudia said...

Coincidência! Hoje também escolhi falar da voz!!!
Porque a voz diz-nos tanto não é?!

Beijo

6:17 da tarde  
Blogger belita said...

La voz de las cosas es simepre bella cuando nos paramos a escuchar.

Besos.

8:21 da tarde  
Blogger Fernanda said...

Tudo... tem voz...
Há que saber... ouvir...

Um abraço

9:47 da tarde  
Anonymous Célia said...

Ola moço bonito tudo bem?
O coração tem razões, mas só a alma sabe responder.
Beijos
Célia

1:51 da manhã  
Blogger joana said...

Tens aqui poemas muito bons*
é um espaço a recomendar...bj

1:11 da tarde  
Blogger Sereia Azul* said...

É sempre uma surpresa o teu blog...adoro as escolhas que fazes.

Voltarei sempre, amigo.
Obrigada pelo teu carinho nas minhas Ondulações.

Uma brisa de mar no teu coração

Sereia Azul*

3:24 da tarde  
Blogger Pete said...

Por vezes As Coisas têm vida própria.

Um Abraço e bom fim-de-semana.

6:57 da tarde  
Blogger _lara_ said...

quem percebe este poema é porque as consegue sentir...
Um beijinho*

7:37 da tarde  
Blogger mymind said...

s formos sensiveis ouvimos td ou kse td a noxa volta!
=)
bjinhux

7:49 da tarde  
Blogger Celeste said...

Tengo un nudo en la garganta
que oprime mi respiración.
Mi corazón late con fuerza,
manda a callar la razón!

Insisto que hay cosas del mundo
que ella no puede explicar.
Cómo es que me emociona algo
que ni puedo pronunciar!

El amor es impronunciable
indefinible, inconmensurable;
le basta solo con ser.

Lo he sentido en tus poemas:
el idioma no es barrera;
en mi español y tu portugués!

Beso celeste!

8:11 da tarde  
Blogger serenidade said...

Muitas vezes a voz não se ouve, sente-se é a energia que emana das situações, dos rostos, das paisagens, etc, etc, etc.
Lindo este poema.

Beijos d eluz serena.

9:14 da tarde  
Blogger Freyja said...

me encanto, esta bello este poema
siempre hay voces que nos hablan y a veces muy misteriosas
Manuel un abrazo grande y que estes muy bien
besitos


besos y sueños

9:17 da tarde  
Blogger Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras said...

Adorei!!!
Perdi-me nestas palavras.
Obrigada pela partilha
beijinhos

3:09 da tarde  
Anonymous collybry said...

A voz que dá vida a Tua voz...bjca

5:37 da tarde  
Blogger Menina do Rio said...

Olá Manoel
mais uma vez a admirar teu talento em nos mostrar poesias tão belas!

Desejo-te um ótimo fim de semana!

Beijos de Menina

8:01 da tarde  
Blogger Juℓi Ribeiro said...

Manuel:
Linda postagem!
Linda poesia!

Sempre me encanta
o teu bom gosto
e a tua sensibilidade.
Realmente temos que falar
na voz do amor
e ter coração para entender
A VOZ DAS COISAS.
Beijo.*Juli*

11:28 da tarde  
Blogger Siboney said...

AS cousas cantan
as cousas (coisas) susurran
e suspiran


e cantas cousas te escriben ;P

Bicos

12:31 da tarde  
Blogger Maria Costa said...

gostei de ler.

bom fm de semana.

7:19 da manhã  
Blogger freefun0616 said...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,

4:12 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home