segunda-feira, maio 01, 2006

ESTA PALAVRA SAUDADE

Esta palavra saudade

Junto de um catre vil, grosseiro e feio,
por uma noite de luar saudoso,
Camões, pendida a fronte sobre o seio,
cisma, embebido num pesar lutuoso...

Eis que na rua um cantico amoroso
subitâneo se ouviu da noite em meio:
Já se abrem as adufas com receio...
Noites de amores! Que trovar mimoso!

Camões acorda e à gelosia assoma;
e aquele canto, como um antigo aroma,
ressuscita-lhe os risos do passado.

Viu-se moço e feliz, e ah! nesse instante,
no azul viu perpassar, claro e distante,
de Natércia gentil o vulto amado...

Gonçalves Crespo
(1846-1883)

2 Comments:

Blogger filomena said...

Obrigada pela visita ao meu blog.

Gostei de ler o que escreve.

3:37 da tarde  
Blogger Isa Calixto said...

Obrigada pelas palavras, que colocou no meu cantinho.
A poesia é sempre bem vinda...e neste seu espaço está viva, felizmente!!! Gostei de aqui vir.

Um bom feriado

5:59 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home