quinta-feira, abril 07, 2011

UMA ERVA

Era uma vez uma erva, uma sózinha,
Que vivia sem água e sem calor;
Quem passava não via a pobrezinha,
E quem visse: pisava-a, sem amor.


O seu corpinho verde, que não tinha
Bebido a chuva nem o sol em flor,
Morreu: e a erva mísera e mesquinha,
Estendeu-se no chão, seca de dor.


Andava ali, n'aquela ocasião,
Um amoroso e noivo passarinho
Que construia o ninho com paixão.


E o destino da erva foi diverso:
Leva-a no bico a ave p'ra o seu ninho,
E dela faz a renda para o berço.


Afonso Lopes Vieira

2 Comments:

Blogger Naty e Carlos said...

Milagre é tudo aquilo que enche o nosso coração de paz.
Paulo Coelho
Bjs com carinho Naty

7:14 da tarde  
Blogger Parapeito said...

que belo...
o eterno recomeço
nada se perde
brisas doces**

10:19 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home