terça-feira, março 08, 2011

08 MARÇO 2011


QUADRO SUBLIME

Envolta em rendas e nevado linho,
Dorme no berço angelical criança,
Qual ave implume que, em mimoso ninho,
Entre as ramagens do vergel, descansa.

E a jovem mãe daquele loro anjinho,
num doce enlevo, o filho seu balança
E, a sorrir-lhe com maternal carinho,
Se embala em sonhos de ternura e espr'ança.

Sublime quadro, de beleza infinda,
formam a meiga criancinha linda
E a mãe, que a ama com fremente ardor;

São almas belas, cheias de doçura:
Uma __ inocente, divinal e pura,
Outra __ vibrante de ternura e amor.
Maria Nunes de Andrade

Etiquetas:

3 Comments:

Blogger Cata- Vento said...

Um bonito soneto cujo tema me remete para outros bem menos recentes, obras-primas da poesia.
Não conheço a autora mas vou pesquisar outras composições suas.

Bem-hajas, Manuel, que tão bem divulgas a poesia.

Beijinhos e saúde

10:32 da manhã  
Blogger Alice said...

Um doce poema que nos transporta a outros tempos...
(esta é a primeira visita do Manta de Retalhos)
Fica bem...

4:43 da tarde  
Blogger Parapeito said...

Gostei da doçura das palavras...
brisas frescas para todos*

9:36 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home